Indústria fabricante de drone com tecnologia VTOL quer se instalar em Manaus

A Hawk Geotechnology, empresa que atua no mercado de inteligência aeroespacial e que é pioneira na América do Sul na utilização de drones com tecnologia VTOL (aeronaves não tripuladas de asa fixa que decolam e pousam em modo vertical), está interessada em instalar uma unidade produtiva na Zona Franca de Manaus (ZFM).

A intenção foi declarada durante reunião de representantes da empresa com o superintendente adjunto de Operações, Luciano Tavares, e com o superintendente adjunto de Projetos da Suframa, Gustavo Igrejas, realizada nesta semana, na sede da Suframa.

Na ocasião, o diretor de desenvolvimento da Hawk, Aimoré Dias, explicou que a meta é conseguir, por meio da Suframa, o estabelecimento de um Processo Produtivo Básico (PPB) para que seja possível obter as vantagens fiscais e trazer essa tecnologia com  competitividade para o mercado brasileiro. “Já estamos elaborando o nosso projeto, com ajuda de profissionais da Universidade Federal do Amazonas e da Suframa, para tentar conseguir essa licença e ter os incentivos ofertados na Zona Franca de Manaus. Não existe ainda nenhuma fabricante de drones com a tecnologia VTOL no Brasil. Acreditamos que a vigilância aérea é um segmento que vai crescer muito em todo o mundo e a tecnologia VTOL, em particular, é uma tendência dentro dessa área”, explicou Dias.

Voo de demonstração

Durante a reunião, os servidores da Suframa assistiram a um voo de demonstração de um dos drones utilizados pela Hawk no entorno do Distrito Industrial, tirando dúvidas sobre especificidades técnicas do aparelho como o alcance, o tempo útil da bateria e a capacidade de zoom. Eles também conheceram detalhes do trabalho de vigilância aérea que está sendo realizado pela Hawk no campus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), na zona Leste de Manaus, o qual recorrentemente sofre com invasões – problema também enfrentado em áreas dos bairros Distrito Industrial I e II e no Distrito Agropecuário da Suframa (DAS).

Tópicos:



Comentários