Nissan abre em São Paulo seu 10º estúdio de design

O “The Box” serve como laboratório criativo que colabora globalmente com todas as marcas do grupo

A Nissan inaugurou em São Paulo o “The Box”, como foi batizado o seu décimo estúdio global de design, que nasce com a missão de colaborar com inspirações brasileiras e latino-americanas não só para a região, mas para todas as marcas do grupo no mundo – além da própria Nissan, Infiniti e Datsun. Aberto oficialmente na quinta-feira, 16, o espaço foi construído em bairro nobre no formato de uma grande caixa de concreto e vidro, sem paredes internas. Os seis designers brasileiros que trabalham no local têm experiência internacional e são liderados pelo americano-vietnamita John Sahs, que chegou ao Brasil em julho de 2018, após ter passado 20 anos na sede da companhia no Japão. 

O estúdio é mais um elemento para apoiar a estratégia de crescimento da divisão Nissan América Latina, que em abril passado completou cinco anos de sua criação. Entre os trabalhos está a renovação dos veículos produzidos na região, como Kicks, March e Versa, além do desenvolvimento de versões e novos modelos de carros e mobilidade. O “The Box” também deve participar de concorrências internacionais de design da empresa, somando-se aos outros centros em cidades estratégicas como Londres, Xangai e San Diego. 


Continua depois da publicidade


Sahs não revela em quantos ou quais projetos o estúdio brasileiro da Nissan trabalha atualmente, apenas diz que “são muitos”, porque o objetivo do espaço é ser um gerador compulsivo de ideias que podem ser aproveitadas pela empresa em qualquer parte do mundo. Foi essa a missão que ele recebeu de Alfonso Albaisa, vice-presidente sênior global de design da Nissan, quando há cerca de um ano foi escalado para liderar o time brasileiro de design. 

“Novas tecnologias de propulsão levam a buscar novos formatos para os produtos que fazemos. Estamos pensando a mobilidade de maneira abrangente, que vai além do carro. Não é só mais um produto, mas uma experiência”, elucubra John Sahs.

A ideia, segundo o chefe de design, é gerar disrupção e trabalhar muitas ideias, buscando inspiração em áreas fora do setor automotivo, como moda, móveis e arquitetura. Isso já começou a ser feito dentro do próprio estúdio, onde boa parte mobiliário já foi desenhada pelos próprios designers, como a mesa de reuniões e a escada em formatos assimétricos incomuns. “Temos ter ajuda de outras áreas para desenvolver coisas novas. Sou muito aberto a receber colaborações”, diz Sahs. 

“Vamos trabalhar e pensar ‘inside the box’ (dentro da caixa do estúdio) para gerar uma mudança positiva e criativa fora da caixa”, resume Sahs, que criou um ambiente modero e descontraído para liberar o fluxo de ideias. O “The Box” conta com um longe e uma área de criação onde todo o time trabalha integrado, sem divisórias. Um jardim zen japonês e um engawa – espécie de varanda japonesa – complementam o espaço construído para introduzir o pensamento latino-americano no design da Nissan, sem perder o DNA japonês. 

Tópicos:



Comentários