Vallourec volta a fornecer tubos de aço para o pré-sal

A Vallourec Soluções Tubulares do Brasil vai fornecer 12 mil toneladas de tubos de aço sem costura para a TechnipFMC Brasil. Segundo o presidente das empresas Vallourec no Brasil, Alexandre Lira, os tubos, com diâmetros externos de 8 e 10 polegadas, começam a ser entregues no fim deste ano e deve se estender até março de 2020.

"Esse contrato é a retomada de um mercado que estava parado desde 2012 no país. E é um produto que é quase da nossa prateleira, exportamos para vários mercados", disse Lira ao Valor.

Os tubos serão usados na construção dos sistemas para interconectar 13 poços (seis poços de produção e sete poços de injeção alternada de água e gás) que serão instalados no campo Mero 1 do pré-sal, que faz parte do reservatório de Libra.

O Bloco de Libra cobre área de 1.550 quilômetros quadrados, equivalente ao tamanho da cidade de São Paulo, com reservas recuperáveis estimadas na faixa de 8 a 12 bilhões de barris de petróleo. Ele é operado pelo consórcio formado por Petrobras (participação de 40%), Shell (20%), Total (20%), CNOOC Limited (10%), CNPC (10%) e Pré-Sal Petróleo - PPSA (estatal gestora do contrato).


Continua depois da publicidade


Já o campo Mero 1 está localizado aproximadamente a 180 quilômetros da costa do Rio de Janeiro em águas ultraprofundas e apresenta reservatório com hidrocarbonetos de alta qualidade com expectativa de alta produtividade do poço.

Segundo o executivo, a expectativa é que as novas rodadas para exploração do pré-sal aumentem o volume de tubos de aço rígido para a utilização em águas profundas. "É uma tecnologia mais eficiente, além de ser mais leve, e a vida útil é maior que os tubos flexíveis. E isso fez a Petrobras retomar o uso desses sistemas. Em 2021, esse mercado deve dar um salto significativo", afirmou o presidente.

Atualmente, de acordo com Lira, as vendas para o mercado interno representam somente 25% da produção da companhia no país. "A estimativa é que essa participação já alcance 40% em 2021, com a retomada do segmento de óleo e gás e a melhora da economia que deve impulsionar o mercado automotivo, por exemplo", afirmou.

No ano passado, a Vallourec obteve uma receita de € 3,9 bilhões, sendo que o faturamento de toda a América do Sul representou 16% desse total.

"Temos uma capacidade de 1 milhão de toneladas de produção no Brasil. Já estamos em conversas com a matriz para investir em nossa unidade de Belo Horizonte (MG) para atender o crescimento da exportação. Hoje, operamos em nível de ocupação razoável por causa da exportação", ressaltou. A Vallourec mantém unidades de produção na capital mineira e em Jeceaba (MG). 




Comentários