Produção de motocicletas supera 185 mil unidades no primeiro bimestre, informa Abraciclo

A produção de motocicletas nas fábricas do Polo Industrial de Manaus totalizou, em fevereiro, 101.243 unidades, representando uma alta de 21,1% em relação ao mesmo mês do ano passado (83.632 unidades) e de 20,5% na comparação com janeiro (84.006 unidades).

Segundo dados divulgados pela Abraciclo – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares -, nos dois primeiros meses do ano foram fabricadas 185.249 unidades, correspondendo a um aumento de 12,3% em relação a igual período de 2018 (164.938 unidades).

Para o presidente da entidade, Marcos Fermanian, os bons resultados reforçam a expectativa de crescimento do setor, estimada em 4,2% para este ano. “Os números do primeiro bimestre comprovam a retomada do crescimento do mercado de duas rodas. Hoje o consumidor sente-se mais seguro em investir na compra de um bem de maior valor agregado. Essa confiança está baseada num cenário econômico mais favorável, marcado pela redução nas taxas de juros e dos índices de inflação”, afirma.

Vendas no atacado

Com elevação de 27,6% na comparação com fevereiro do ano passado (74.800 unidades), as vendas no atacado somaram 95.427 motocicletas. O volume também é 16,9% superior ao alcançado em janeiro (81.655 unidades). No primeiro bimestre, as concessionárias receberam 177.082 motocicletas, volume 20,7% superior ao mesmo período de 2018 (146.767 unidades).


Continua depois da publicidade


Desempenho por categoria

A categoria de motocicleta mais comercializada em fevereiro foi a Street, com 52,8% de participação (50.422 unidades). Em segundo lugar ficou a Trail, com 20,2% (19.272 unidades); Motoneta, com 14,2% (13.517); Scooter, com 6,4% (6.091) e Naked, com 2,5% (2.387).

Essas posições foram mantidas no ranking do primeiro bimestre do ano. A categoria Street teve 53,4% de participação (94.568 unidades, alta de 25,2% na comparação com o mesmo período do ano passado, que foi de 75.555 motocicletas).

Na sequência, está a Trail, com 19,6% (34.723 unidades, volume 5,4% superior às 32.937 unidades enviadas para as lojas). Em terceiro lugar, está a Motoneta, com 14,8% (26.154 unidades, alta de 32,7% em relação às 19.703 motocicletas comercializadas nos dois primeiros meses de 2018).

A Scooter vem a seguir, com 5,9% (10.410 motocicletas, aumento de 8,1% ante as 9.633 registradas no primeiro bimestre do ano passado). Depois, está a Naked, com 2,5% (4.460 unidades, 28,4% maior que as 3.474 destinadas para as lojas entre janeiro e fevereiro do ano passado).

Emplacamentos

Levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) revela que, em fevereiro, foram emplacadas 84.150 motocicletas, o que representa uma elevação de 33,6% sobre o volume registrado no mesmo mês do ano passado (62.991 unidades). Na comparação com janeiro, no entanto, o resultado é 7,2% inferior (90.704 motocicletas).

O levantamento mostra ainda que, no primeiro bimestre deste ano, o total de emplacamentos foi de 174.854 motocicletas, volume 24,9% superior ao alcançado no mesmo período de 2018 (139.984 motocicletas).

A média diária de vendas foi de 4.208 unidades, 2,1% maior do que a de janeiro (4.123 unidades) e 20,2% superior à registrada em fevereiro do ano passado (3.500 unidades).

“Foi o melhor mês de fevereiro desde 2015, que teve média de 5.211 unidades emplacadas em 18 dias úteis. Isso nos deixa bastante otimistas com relação à expectativa de fechar 2019 com a produção de 1.080.000 unidades”, afirma Marcos Fermanian.

Tópicos:



Comentários