Versão 2019 da Plástico Brasil confirma retomada do otimismo no segmento industrial

A segunda edição da Plástico Brasil - Feira Internacional do Plástico e da Borracha, promovida entre os dias 25 e 29 desse mês de março, tem dado sinais de que a confiança do empresariado no aquecimento do mercado brasileiro está aumentando.

Iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, da ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e da Informa Exhibitions, o evento, consolidou-se como o maior evento do segmento na América latina, já em sua segunda edição.

Com crescimento de 20% sobre a edição anterior, a feira reúne mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos, acessórios, matérias-primas, resinas, moldes, porta moldes, automação industrial, robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

A Plástico Brasil acontece num momento estratégico para a indústria nacional. Primeira grande feira setorial do ano. Sua ampla e variada oferta de produtos e soluções, cria uma janela de oportunidades para os transformadores e demais agentes do segmento ganharem produtividade e competitividade, nesse momento em que o mercado sinaliza uma retomada de crescimento.

A ABIMAQ prevê aumento de 30% nos investimentos em máquinas e equipamentos em 2019. São esperadas aplicações de mais de R$ 2,7 bilhões em modernização tecnológica, ampliação da capacidade industrial, reposição de máquinas depreciadas entre outros itens.


Continua depois da publicidade


Palavra dos organizadores

Em seu discurso de abertura do evento, João Carlos Marchesan -  Presidente do Conselho de Administração da ABIMAQ, disse que o evento está sendo realizado em um momento particularmente importante, onde os sinais de crescimento dos números setoriais começam a aparecer, confirmando a expectativa de que a indústria fabricante de máquinas e equipamentos deverá crescer em 2019, tanto ou mais do que em 2018, puxada pela retomada do mercado interno.  

Segundo ele, esse otimismo se deve, em parte, pela euforia gerada pelas expectativas de mudanças prometidas pelo novo governo, recém eleito, mas também, pelo avanço tecnológico das máquinas em exposição. Marchesan disse que neste início de ano a entidade entregou às várias estâncias de governo o documento “agenda de competitividade – 2019” com sugestões de ações visando a melhoria da economia.

Atualmente, nos deparamos com várias nações desenvolvidas criando suas políticas industriais como o “American First” nos Estados Unidos, o “Vision Fund” no Japão, o “Made in China 2025” e o “National Industrial Strategy 2030” na Alemanha. Estes países são exemplos de nações que reconhecem a importância da indústria em suas economias, completou o executivo.

Todas as 10 economias mais ricas do mundo contam com uma indústria de máquinas e equipamentos bem desenvolvida. Para Marchesan, a atitude da ABIMAQ deve ser e sempre será a de colaborar com as autoridades governamentais, demonstrando a relevância da indústria e em particular, a indústria de máquinas e equipamentos, de bens de capital, enquanto vetor de crescimento econômico, por meio do aumento de produtividade industrial que pode proporcionar.

Em sua fala de abertura, o executivo disse concordar com o ministro Paulo Guedes quando ele afirma que os industriais são os heróis da resistência. E quando disse que “os empresários brasileiros têm uma bola de ferro, na forma de impostos, na perna direita, outra, na forma de juros, na perna esquerda e carregam nas costas um piano de encargos sociais e trabalhistas.

Disse ainda, que a ABIMAQ apoia a indispensável reforma da previdência, pois reduzirá o déficit fiscal, abrindo espaço para a redução dos juros. Afirmou que os juros altos são, sem dúvida, o maior problema de nossa economia. Para ele, o governo precisa e deve tratar o tema do crédito e dos juros como prioridades. Enfatizou que é preciso avançar com a discussão da reforma tributária, com foco em um sistema que traga justiça, simplificação, transparência e, acima de tudo, desoneração dos investimentos das exportações e diminuir os custos indiretos das folhas de pagamento.

Marchesan reforçou que é preciso destravar os investimentos e melhorar a infraestrutura. Disse que a sociedade brasileira está preocupada com o déficit da previdência, que ameaça seu futuro, mas está mais preocupada ainda com o seu presente, ou seja, com seu bem estar e sua qualidade de vida, que se traduzem na oferta de bons empregos, na segurança, numa educação de qualidade e num bom atendimento da saúde pública. Anseios possíveis de serem atendidos somente num cenário de forte retomada de crescimento.

Encerrando, disse aguardar ansiosamente por esse novo momento da economia brasileira. Esta iniciativa em conjunto com a ABIQUIM, faz da Plástico Brasil não somente um palco onde encontraremos o que há de mais avançado em termos tecnológicos e tendências globais nos diversos segmentos da cadeia produtiva do plástico e da borracha, como também o início de um novo ciclo desenvolvimentista, que colocará o Brasil de volta a um lugar de destaque no mundo. Com estas palavras, desejou boa feira e bons negócios a todos.

Presença Internacional

Parte significativa das marcas expositoras está representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália, estão participando com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais estão apoiando o evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros, que vislumbram na Plástico Brasil a melhor oportunidade para se modernizar e competir num Mercado em ascensão.

Sistema de troca de moldes totalmente automatizado estreia na Plástico Brasil

Em parceria com Romi e Stäubli, foi montado o espaço SMED – Single Minute to Exchange a Die, onde os participantes podem observar, na prática, a troca rápida de moldes, totalmente automatizada, proporcionando flexibilidade, produtividade e eficiência ao chão de fábrica.

Diminuir o tempo de setup para a troca de moldes é um dos grandes gargalos da indústria de injeção de plástico. Fiel ao seu papel de colaborar para o desenvolvimento deste setor, a Plástico Brasil apresentou, já em sua edição inaugural, em 2017, o inédito espaço SMED. A versão demonstrada na ocasião representava uma redução significativa no tempo de setup, inferior a 10 minutos (o “single minute” do nome).

Nesta edição, os visitantes podem conferir uma versão ainda mais eficaz e nunca antes apresentada em feiras setoriais na América Latina. Nessa demonstração a troca de moldes se dá, totalmente automatizada, sem qualquer interação humana e em um tempo inferior a 5 minutos. A própria injetora informa para o sistema qual o molde necessário para o próximo lote programado no planejamento da produção.

Este sistema inovador de troca de moldes está alinhado com o conceito da indústria 4.0, que busca total integração dos equipamentos e sistemas de gerenciamento de produção, reduções de custos, menores riscos de acidentes, redução de falhas no processo de setup e maior produtividade dos equipamentos.

Em seus respectivos estandes, Romi e Stäubli manterão equipes de atendimento para tirar dúvidas dos visitantes e desenvolver soluções customizadas de troca rápida automatizada de moldes.

SKA apresenta o sistema Syneco para planejamento, programação e gestão avançada da produção (MPS -  Master Production Schedule )

O sistema permite o planejamento de ordens de produção (APS - Advanced Planning and Scheduling) com longos horizontes, incluindo nivelamento de carga e de recursos internos e externos (MES - Manufacturing Execution Systems), evidencia gargalos e faz o controle de 100% das ordens de produção, além de identificar falhas, permitindo grande precisão no monitoramento dos índices de Eficiência Geral de Equipamento da linha produtiva “OEE - Overall Equipament Effectivences”.

O Syneco permite um sequenciamento fino na programação das ordens de produção, considerando multi restrições, construindo cenários de contenção, antecipando e interagindo dinamicamente com os prazos. Viabiliza um controle sincronizado das linhas de produção, por meio da integração fluida e em tempo real ERP/APS/MES, considerando inclusive o gerenciamento de estoques e pedidos ainda não firmados.

SEBRAE e SENAI expõem suas unidades volantes para o ensino de técnicas de gestão ligadas ao conceito industrial 4.0

Um escritório sobre rodas com conteúdo sobre empreendedorismo e estratégias inovadoras de ensino voltadas aos conceitos de manufatura avançada.

Dentro do seus espectro de serviços e soluções, o evento conta com a colaboração do SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e do SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, que estão expondo  suas respectivas unidades móveis para atender expositores e visitantes que busquem ampliar seus conhecimentos e expertises quanto aos métodos de gestão de uma planta produtiva alinhada com os modernos conceitos de fábrica inteligente auto gerenciável, conforme os princípios pregados nos conceitos da indústria 4.0.

De acordo com Denilson Dominicheli, o propósito das unidades móveis é poder levar conhecimento para regiões remotas, dentro e fora do estado de São Paulo, onde haja carência de treinamento avançado na gestão de células de manufatura embasadas nas estratégias da IOT – Internet of Things.

Em seu terceiro dia, a Plástico Brasil continua sendo um grande sucesso e justifica o título de maior evento do setor do plástico na América Latina. Nessa reportagem citamos apenas alguns expositores, porém, há muito mais a se destacar. Para quem ainda não teve a oportunidade de fazer uma visita, o evento ainda está em andamento e irá até o dia 29 de março, próxima sexta feira. O horário para a visitação é das 10h00 às 19h00.

Francisco Marcondes

Editor chefe




Comentários