Edital busca soluções inovadoras para o setor de energia

Projetos de startups, micro e pequenas empresas serão desenvolvidos juntamente com o SESI/ SENAI e com a Engie, com o apoio do SEBRAE; lançamento da iniciativa ocorreu nesta terça (26), em Florianópolis

Startups, micro e pequenas empresas do setor de energia poderão receber apoio técnico e financeiro para desenvolver soluções inovadoras. O edital de inovação para indústria na área energética, lançado nesta terça-feira (26), no Instituto da Indústria, em Florianópolis, vai selecionar propostas para integrar o hall de soluções oferecidas pela empresa Engie. Os projetos serão desenvolvidos com suporte técnico e de pesquisa do SESI/ SENAI e com o apoio do Sebrae.

“Inovação tecnológica é essencial para um país que deseja uma indústria rica e que se insira no mercado global, com produtos de valor. Para termos isso, precisamos de instituições como o SESI e o SENAI, que fazem inovação para a indústria. Trabalhamos para ajudar na conexão entre a universidade e a indústria e ser uma ponte entre as startups e as grandes empresas”, comenta o cientista-chefe do Instituto SENAI de Inovação em Sistemas Embarcados, André Pierre Mattei.

O desafio do edital da Engie contempla especialmente três áreas: inteligência operacional, para a otimização de recursos e equipes; análise de perfil e desagregação de carga, aumentando a eficiência dos processos; e saúde e segurança do trabalho. Para a Engie, o edital é uma iniciativa para fortalecer a atuação da empresa na área de soluções.

“Pretendemos nos aproximar do ecossistema de inovação e com isso diversificar conhecimentos, trocar experiências e receber soluções inovadoras para desafios reais”, destaca o diretor comercial e de inovação da Engie, Gabriel Mann.

Em todo o país, o Edital de Inovação para a Indústria contempla diversas categorias e vai investir até R$ 55 milhões para o desenvolvimento de projetos em empresas industriais de todos os portes, incluindo startups de base tecnológica.

Confira o edital de inovação para a indústria. 




Comentários