Balança de autopeças começa 2019 com déficit de US$ 494,4 milhões

Embarques à Argentina caem 43% e EUA se tornam principal destino dos componentes brasileiros


Continua depois da publicidade


A balança comercial de autopeças começou o ano com déficit de US$ 494,4 milhões. As exportações somaram US$ 511,4 milhões em janeiro e recuaram 16,7% ante o mesmo mês do ano passado. A retração nas vendas para a Argentina (-43%) foi atenuada com o crescimento das exportações para Estados Unidos (8,3%), México (9,2%), Chile (33,4%) e Colômbia (14,5%).

Os Estados Unidos iniciaram o ano como principal destino das autopeças brasileiras, com US$ 126,6 milhões, praticamente um quarto dos embarques neste começo de ano. 

As importações superaram US$ 1 bilhão no primeiro mês do ano. O número, contudo, resulta em queda de 16,8% ante janeiro do ano passado, com redução nas compras pela China, Estados Unidos, México, Japão e Coreia do Sul. A retração de 10% na produção brasileira de veículos em janeiro ajuda a explicar a queda nas importações de autopeças. 

A China permanece como maior fornecedora de componentes automotivos para o Brasil, com US$ 162,9 milhões negociados e 16,2% de participação. A Alemanha manteve a segunda posição, com US$ 135,6 milhões. Sua fatia é de 13,5%. Em terceiro vem o Japão, que forneceu US$ 97,6 milhões em componentes em janeiro, com 9,7% de participação nas importações brasileiras de autopeças.




Comentários