Grupo VIP investe em tecnologia Mercedes-Benz para reduzir o consumo de combustível de ônibus urbanos

Sistema de desligamento automático do motor (EIS) já equipa 150 ônibus do Grupo VIP, maior operadora da cidade de São Paulo

As avançadas tecnologias dos ônibus Mercedes-Benz voltadas à redução do consumo de combustível conquistam, cada vez mais, a aprovação do Grupo VIP, maior operadora do sistema de transporte coletivo urbano da cidade de São Paulo. A empresa acaba de adquirir 150 chassis de ônibus urbanos da linha O 500, sendo 50 unidades com sistema de recuperação de energia elétrica (RKM). A programação de entrega dos veículos encarroçados se estende até março de 2019.

“Em 2018, o Grupo VIP já havia adquirido outros 150 ônibus da marca, todos equipados com sistema de desligamento automático do motor (EIS)”, afirma Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Ou seja, pouco mais de um ano após a chegada dessas tecnologias ao mercado, as operadoras já atestam e confiam nos ganhos econômicos proporcionados pelo RKM e o EIS, o que contribui para a rentabilidade operacional. Além disso, o menor consumo leva à redução de emissões, melhorando a qualidade do ar”.

“Com o desligamento automático do motor, o EIS vem demonstrando que efetivamente reduz o consumo de combustível e também o nível de ruído, além de contribuir com a maior conscientização do motorista para que ele desligue o ônibus se o veículo ficar parado muito tempo”, ressalta Roberto Abreu, sócio proprietário do Grupo VIP. “Nossa expectativa é que o RKM também nos traga ganhos econômicos e ambientais”.


Continua depois da publicidade


Maior conglomerado de empresas de ônibus de São Paulo, o Grupo VIP opera cerca de 200 linhas na capital, transportando diariamente, em média, 1,2 milhão de passageiros. Está presente na Área 3 (Nordeste, Amarela) do sistema, em bairros da Zona Leste; Área 7 (Sudoeste, Vinho), na Zona Sul e na Área 9 (Centro).

A frota do Grupo VIP é composta por 1.800 veículos, praticamente 100% da marca Mercedes-Benz, entre O 500 padron, articulado e superarticulado, modelos da linha OF e cerca de 40 vans Sprinter.

“Nessa frota, são mais de 330 superarticulados e mais de 300 articulados”, diz Roberto Abreu. “Aliás, o O 500 superarticulado foi desenvolvido pela Mercedes-Benz a nosso pedido. Temos uma história de mais de 40 anos de relacionamento. Como já conhecíamos bem os chassis da marca, solicitamos uma solução que aumentasse a capacidade de transporte de passageiros mantendo apenas uma articulação do veículo. Isso foi atendido plenamente. Aliás, as equipes de Engenharia e Pós-Venda da Mercedes-Benz sempre estão juntas da nossa equipe, não nos deixam na mão”.    

Tecnologias RKM e EIS são ideais para grandes cidades

Os recursos dos ônibus Mercedes-Benz voltados à redução de consumo e emissões ganham importância em metrópoles, como São Paulo e Rio de Janeiro, além de outras grandes cidades do Brasil e América Latina. Entre as avançadas tecnologias, incluem-se o RKM (sistema de recuperação de energia elétrica) e o EIS (desligamento automático do motor).

O gerenciamento inteligente do RKM, cuja principal vocação são os ônibus urbanos, aproveita a reserva de capacidade de energia elétrica produzida pelos alternadores do veículo, principalmente nos momentos de desaceleração, e a armazena em super capacitores, que atuam de modo autônomo. A energia elétrica armazenada é utilizada como fonte adicional durante os momentos de aceleração do ônibus.

Com os super capacitores carregados, o RKM disponibiliza uma carga de energia elétrica que normalmente é fornecida pelos alternadores, que são acionados pelo motor do veículo. Ao liberar os alternadores dessa função, o sistema propicia uma economia no consumo de combustível. Nos testes realizados pela Engenharia de Desenvolvimento da Mercedes-Benz, foram registradas economias médias de cerca de 2%. Além disso, o RKM assegura diminuição nas emissões de CO2 (Dióxido de Carbono).

O EIS (Engine Idle Shutdown) é um inovador sistema de desligamento automático do motor. Se o ônibus está parado, porém com motor ligado, câmbio no ponto morto e freio de mão acionado, numa situação que perdure por um longo período – por exemplo, 4 minutos – sem que o motorista acelere o veículo ou acione o freio de serviço, o sistema entra em ação e automaticamente desliga o motor.

Esta é uma situação bastante comum em garagens, rodoviárias, terminais urbanos e pontos de parada. Nessas circunstâncias, o EIS entra em ação, proporcionando economia no consumo de combustível, além de reduzir as emissões de poluentes e de ruídos. Esta solução acaba por contribuir para a conscientização do motorista quanto à necessidade de se desligar o motor se o veículo ficar parado por um tempo prolongado.




Comentários