Setor de máquinas demonstra otimismo


Continua depois da publicidade


O setor de bens de capital mecânicos está otimista com o novo governo. O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), João Carlos Marchesan, participou de reunião com o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e declarou que a abertura comercial será gradual.

“O que Guedes nos disse foi como música, é aquilo que a Abimaq prega. Estamos saindo de um ciclo de 20 anos de governos sociais democratas para um liberal. Mas ele falou que a abertura comercial será gradual, conforme for sendo reduzido o custo Brasil”, disse o dirigente da entidade.

Segundo Marchesan, a conversa durou cerca de duas horas, “o que é uma eternidade em se tratando de uma reunião com um ministro”. “Nós mais ouvimos do que falamos porque ele disse aquilo que é interessante para a indústria. Guedes está convicto de que é preciso reindustrializar o Brasil”, destacou.

O presidente da Abimaq afirmou que a expectativa do setor para o ano que vem é que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça de 2,5 a 3% e que, nesse ritmo, o faturamento das fabricantes de máquinas e equipamentos avance em torno de 7%, desempenho semelhante ao de 2018. No acumulado de janeiro a outubro, a alta é de 7,7%. “O momento ainda é de recuperação”, pontua.


Continua depois da publicidade


Receita

O faturamento das fabricantes de máquinas e equipamentos cresceu 14,4% em outubro na comparação anual, mostram dados divulgados nesta terça-feira (27) pela Abimaq.

As empresas faturaram, no mês passado, um total de R$ 7,2 bilhões. Em relação a setembro, o volume representa incremento de 1,9%. No acumulado de janeiro a outubro, as vendas do setor somaram R$ 65,1 bilhões, avanço de 7,7% na comparação com igual período de 2017.

O consumo aparente da indústria (que exclui as exportações do faturamento e inclui as importações) alcançou R$ 9,6 bilhões em outubro, crescimento de 25,4% em relação a igual mês do ano passado e de 2,6% ante setembro.

Tópicos:



Comentários