3 iniciativas que incorporam tecnologia aos cuidados com a saúde mental

Foto de Ingo Joseph no Pexels

A população mundial nunca esteve tão preocupada com a saúde mental como hoje em dia. As discussões sobre transtornos, como a depressão, já vinham ganhando mais espaço em diversos setores, e com a pandemia da Covid-19 essa pauta se tornou ainda mais urgente. Aos poucos, as tecnologias vão sendo incorporadas às práticas de cuidado com a mente, como é o caso das três iniciativas a seguir:

Aparelhos Vestíveis

Os aparelhos vestíveis estão surgindo como uma alternativa para a realização de diagnóstico de transtornos mentais, principalmente a ansiedade e depressão. A possível utilização destes dispositivos está sendo temas de estudos. A premissa dos pesquisadores é que a saúde mental se relaciona diretamente com fatores físicos em nosso corpo.

Portanto, ao acompanhar a rotina diária através dos batimentos cardíacos, qualidade do sono e atividades físicas realizadas, funções presentes em um smartwatch, pode ser possível perceber alterações nos padrões pessoais que indiquem o desenvolvimento de um quadro depressivo. Se as pesquisas funcionarem e a eficácia for comprovada, será uma ótima maneira de prevenir consequências mais graves, antecipando o tratamento.


Continua depois da publicidade


A psicóloga Sofia Vargas, editora do portal GuiaDeBemEstar, acredita no potencial da utilização dos dispositivos vestíveis também para outros transtornos: “A síndrome de Burnout, provocada pela exaustão e excesso de trabalho, é uma das maiores preocupações atuais no ramo da saúde mental. Várias pesquisas recentes relacionam este quadro à alteração da frequência cardíaca, o que nos faz acreditar que o monitoramento através de um dispositivo vestível possa ajudar a identificar os sintomas e evitar a piora do quadro”.

Computadores cognitivos

A empresa IBM, uma das gigantes da tecnologia mundial, desenvolve há alguns anos um sistema que permite a identificação de transtornos mentais e doenças neurológicas através de computadores cognitivos. A ideia da empresa é que os computadores possam identificar sinais de Alzheimer, Parkinson, depressão e psicose através da fala e da escrita dos pacientes. O sistema também funciona baseado na análise e identificação de padrões.

Psicoterapia virtual

A psicoterapia online sempre enfrentou muita resistência: muitos não acreditam no potencial do tratamento feito a distância, enquanto outros ainda veem a terapia psicológica como um grande tabu.

No entanto, o período pandêmico ajudou a legitimar esta forma de tratamento para a saúde mental, pois o isolamento social exigiu o tratamento mediado por tecnologias, ao mesmo tempo em que fez com que muitas pessoas enxergassem a real importância da psicoterapia.

Dessa forma, o aproveitamento da tecnologia para tratar a saúde mental se consolidou. A grande prova disso é que vários estados e municípios passaram a oferecer o tratamento psicológico online gratuito durante a pandemia. Em muitos casos, a estratégia foi exitosa na função de ajudar a população, com milhares de atendimentos realizados.




Comentários