Venda de carrocerias cresce 53% neste ano

Apesar do avanço expressivo, o desempenho não é suficiente para reverter as perdas registradas pelos fabricantes nos últimos anos da crise brasileira


Continua depois da publicidade


A indústria de implementos rodoviários vem apresentando recuperação acima de 53% neste ano, puxada pelo segmento pesado – que tem no agronegócio e em papel e celulose grandes clientes. Já o mercado de produtos leves ainda apresenta retomada lenta, diante do desempenho fraco do consumo brasileiro.

O crescimento reportado neste ano não recupera os postos de trabalho perdidos durante a crise que o setor enfrentou nos últimos anos. De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir), atualmente os fabricantes geram 35 mil empregos diretos, mas há dois anos a mão de obra das empresas era de 71 mil pessoas.

“O setor registra apenas recuperação em 2018 e não crescimento, porque tivemos perdas acumuladas no período da crise que representam dois terços do nosso mercado”, afirma o presidente da Anfir, Norberto Fabris.Para este ano, a estimativa da entidade é que o setor entregue ao mercado entre 80 mil e 82 mil unidades. Em 2017, os fabricantes emplacaram 24,9 mil implementos.De janeiro a outubro, o segmento pesado (reboques e semirreboques) cresceu 80,1%, para 35,9 mil unidades. Já o de leves (carroceria sobre chassis) avançou 33,5%, para 37 mil unidades. “A indústria está sintonizada aos setores da economia que estão reagindo, como o agronegócio”, diz o dirigente. “Os resultados de recuperação no mercado urbano ainda estão mais lentos”, acrescenta. O desempenho dos fabricantes de implementos rodoviários acompanha a retomada do mercado de caminhões, que vem crescendo de forma significativa neste ano. Segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), os emplacamentos de caminhões cresceram 50,2% de janeiro a outubro, para 60,7 mil unidades. O destaque ficou para a categoria de pesados, que teve avanço de 87% na mesma base de comparação. Porém, a indústria de veículos pesados também amargou quedas significativas nos últimos anos, levando as montadoras a enxugar o quadro de funcionários e a operar com apenas um turno por um longo tempo. Exportações Apesar da base fraca, no mercado externo os fabricantes de implementos rodoviários têm apresentado bons frutos. De acordo com a Anfir, os esforços da entidade junto com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) para dar suporte à expansão comercial do setor na América Latina vêm trazendo avanço para as empresas.De janeiro a setembro, foram vendidos ao exterior 2,715 mil reboques e semirreboques, um volume 1,31% acima do mesmo período do ano passado. “O programa de exportação é uma ferramenta importante no processo contínuo de internacionalização da nossa indústria”, assinala Fabris. 


Continua depois da publicidade





Comentários