Siderúrgica brasileira CSN planeja alta de 27,5% no preço do aço para montadoras

A siderúrgica brasileira Companhia Siderurgica Nacional (CSN) disse nesta quinta-feira que está negociando um aumento de 27,5% no preço do aço para as montadoras domésticas no ano que vem.

A medida marca a segunda vez que uma produtora de aço brasileira tenta se fortalecer com a indústria automobilística, que está se recuperando de uma recessão profunda, enquanto a indústria siderúrgica está experimentando um boom devido aos preços internacionais mais altos.

No mês passado, a Usiminas Siderúrgicas de Minas Gerais SA disse que estava procurando aumentar os preços do aço para automóveis em mais de 20%.

A CSN não divulgou com quais montadoras estava negociando, mas a empresa é fornecedora significativa para a unidade brasileira da General Motors Co.

O Brasil, até a recente recessão, foi um dos cinco principais países produtores de automóveis do mundo, mas ainda é de longe o maior produtor da região e abriga fábricas para a maioria das maiores empresas automobilísticas do mundo.

A indústria registrou um pico recente, com o mês de outubro sendo o melhor mês para produção e vendas desde 2014, apesar da queda nas exportações devido a uma recessão na vizinha Argentina.

O grupo industrial Anfavea disse que o mercado de automóveis do Brasil crescerá 13,7% em 2018 e espera um crescimento de dois dígitos em 2019.

Na quinta-feira, o Congresso brasileiro aprovou um plano de incentivo há muito aguardado para as montadoras conhecidas como Rota 2030, que dará incentivos fiscais para fábricas na região Nordeste, bem como para o desenvolvimento de carros movidos a etanol, puxados pela forte produção brasileira de cana-de-açúcar.




Comentários