ABB entregará eletrocentro para rede de gasodutos em São Paulo

Uma alternativa às estruturas permanentes, o eletrocentro ‘plug and play’ da ABB poupará o tempo e reduzirá os custos da entrega e alocação de equipamento elétrico para a modernização de gasodutos

A ABB recebeu pedido do consórcio de construtoras SACS/NIPLAN para fornecer um eletrocentro que suportará a modernização da rede de gasodutos de São Paulo.

Eletrocentros são anexos pré-fabricados, modulares, externos, para abrigar uma gama de equipamentos elétricos e de automação. Demandando menos tempo de instalação, comissionamento, entrega e inicialização, eles são uma alternativa mais rápida às tradicionais construções de concreto ou alvenaria, mas também podem ser projetados para atender necessidades específicas do cliente. Custando normalmente 20 por cento menos do que as estruturas permanentes e oferecendo até 60 por cento de redução no impacto ambiental, elas são uma solução para eletrificação rápida e altamente eficiente em termos de custo.

A companhia fornecerá eletrocentros para 47 estações de bombeamento ao longo do gasoduto, com 47 quilômetros de extensão, conectando uma estação que está sendo construída em São Bernardo do Campo até a Refinaria de Capuava (RECAP) em Mauá, São Paulo.


Continua depois da publicidade


Produzido na fábrica da ABB em Sorocaba, o eletrocentro tem 112 metros quadrados, usa tinta especial anticorrosiva e é o único no mercado com certificação ISO9001. Feitos para serem alocados em regiões remotas ou de difícil acesso (normalmente onde acontecem os reparos de gasodutos), os eletrocentros da companhia foram desenvolvidos para suportar condições ambientais agressivas, como a corrosão de material, para reduzir futuros custos de manutenção.

“O eletrocentro, incluindo todos os seus componentes, é testado antes do envio, o que minimiza riscos no campo”, diz Adriana Guillen, gerente de vendas da área de Óleo, Gás e Produtos Químicos da ABB Brasil. “Sua mobilidade torna fácil e econômico instalar e realocar. Os eletrocentros podem ser instalados próximos a cargas grandes, o que reduz o tamanho e o comprimento do cabo de energia e controle. Estando próximo às cargas, o custo com a energia também é menor. 

“O equipamento traz vantagens na redução do tempo da construção e otimização do espaço, visto que vem pré-testado e comissionado, mitigando riscos e acelerando o pontapé inicial do projeto”.

A ABB diz que o projeto é significativo porque ele representa uma reviravolta nos investimentos do setor de petróleo e gás no Brasil, particularmente visto que os eletrocentros atuais são soluções de engenharia usadas principalmente nas indústrias de papel e celulose, mineração, química e naval.

O projeto de modernização da rede de gasodutos de São Paulo está sendo entregue pelo consórcio de construtoras SACS NIPLAN, compreendendo a SACS Construção e Montagem e a Niplan Engenharia.




Comentários