DACHSER amplia gama de serviços e oferece rotas marítimas como China-Brasil

Empresa de logística multinacional inaugurou novas saídas semanais em portos, ampliando gama de serviços


Continua depois da publicidade


A DACHSER aumentou a infraestrutura dos serviços oferecidos por meio da aquisição de novas saídas de contêineres marítimos, disponibilizando transporte de carga LCL a partir de – e para – um maior número de portos a nível mundial, expandindo a flexibilização a gestão de cadeia logística das empresas.  

Nos últimos meses, a empresa lançou rotas que passam pela China e seguem até o Brasil, que vão desde a Alemanha (Bremen e Hamburgo) até aos EUA, com múltiplos destinos na Índia (Nhava Sheva, Chennai, Nova Deli e Bangalore), além das que passam da Bélgica com destino à China, México, Singapura e Índia, por exemplo. A oferta visa otimizar o planejamento dos clientes, ao poderem enviar volumes de carga inferior – sem a necessidade de completar um contêiner. Além disso, os processos de importação e exportação ganham inúmeras vantagens, como maior eficiência e agilidade.

“Os clientes usufruem de benefícios com os nossos serviços LCL, uma mais rápida disponibilização das mercadorias na cidade de destino, maior flexibilidade e, também, um planeamento mais rigoroso da cadeia logística, graças à gestão de contêineres e às conexões marítimas diretas”, afirma João Paulo Caldana, Diretor Executivo da DACHSER Brasil.


Continua depois da publicidade


Outro benefício proporcionado pela DACHSER com as novas rotas é a criação de condições ideais para compras e distribuição em todo mundo, na qual tanto a indústria quanto o comércio podem aproveitar dessa conexão de mercados, incluindo a coleta e entrega de bens valiosos de variados segmentos, de porta a porta.

Dentre os diferencias proporcionados pelas rotas que passam pelo Brasil, como Hamburgo-Santos e Shanghai-Santos, estão maior visibilidade, acompanhamento da estufagem, maior controle das cargas, bem como maior flexibilidade com prazos e maior autonomia no destino.




Comentários