Morgan Stanley cria Banco de Carbono

Fonte: ABiodiesel - 19/08/07

O banco de investimentos Morgan Stanley anunciou ontem a criação do Banco de Carbono Morgan Stanley que prestará assistência a clientes que pretendem se tornar neutros em carbono. O novo serviço é uma parceria da empresa, já experiente no comércio de carbono, com a Det Norske Veritas (DNV), líder internacional no fornecimento de informações certificadas de emissões.

Segundo a Morgan Stanley, segundo maior banco de investimento do mundo em valor de mercado, este será o primeiro serviço integrado de verificação e neutralização de emissões no mercado mundial baseado nos maiores padrões internacionais reconhecidos.

“Nós estamos contentes em oferecer aos clientes uma maneira transparente e confiável de verificar e neutralizar as emissões de gases do efeito estufa com duas companhias especialistas em mercado de carbono. Muitas empresas já começaram a buscar maneiras de reduzir suas emissões diretas e nosso serviço irá ajudá-las, com maior facilidade e confiança, a tomar o próximo passo para levarem a zero a pegada de carbono”, disse o diretor administrativo e chefe da divisão de Energia, Combustíveis e Comércio de Carbono da Morgan Stanley, Simon Greenshields.

Para David Yarnold, vice-presidente executivo da ONG Defesa Ambiental, o anúncio reforça a necessidade de soluções de mercado para alcançar os desafios das mudanças climáticas. “Apesar do mercado de carbono regular ser baseado em processos ambientais padronizados e efetivos, está sendo difícil para as empresas encontrarem um serviço com alta qualidade para neutralizar suas emissões no mercado voluntário”, afirmou.

Os clientes do Banco de Carbono irão compilar um inventário de emissões nos padrões da Iniciativa Protocolo de Gases do Efeito Estufa (GEE), responsável pela contagem de muitos programas obrigatórios de GEE ao redor do mundo, incluindo o Esquema de Comércio da União Européia. A DNV irá então verificar este inventário e calcular a pega de carbono. Todo o processo de quantificação, monitoramento e verificação será conduzido dentro dos padrões do ISO 14064.

Depois de uma pré-seleção pela Morgan Stanley de créditos de carbono compatíveis com a quantidade de emissões da pegada de carbono identificada, o cliente poderá selecionar a fonte que preferir. Estes créditos, todos nos padrões do Protocolo de Kyoto, vêm de diversas fontes, incluindo os próprios investimentos diretos da Morgan Stanley nas reduções de emissões e também da MGM Internacional, uma das maiores mantenedoras de projetos de redução no mercado. A Morgan Stanley adquiriu no último ano 38% do capital acionário da MGM.

Os clientes que utilizarem os serviços do Banco de Carbono receberão um certificado “carbono zero” da Morgan Stanley e DNV.



Comentários