Empresa que atua em São Paulo e no Espírito Santo encomenda 200 caminhões elétricos da BYD

Corpus Saneamento e Obras, que trabalha com coleta, transporte e destinação de resíduos, pretende renovar a frota gradativamente

O grupo Corpus Saneamento e Obras, que trabalha com coleta, transporte e destinação de resíduos em São Paulo e no Espírito Santo, encomendou 200 caminhões elétricos da empresa chinesa BYD, do modelo eT8A. A intenção é substituir gradualmente parte da frota a diesel.

Em setembro, serão entregues 21 caminhões, para 2019, está prevista a chegada de outros 60 e o restante virá para o Brasil ao longo de quatro anos.

Segundo informações do Estadão, os caminhões serão importados, a princípio, mas o grupo tem intenção de fabricar os veículos na filial de Campinas, no interior de São Paulo. No local, já são produzidos ônibus elétricos desde 2015.

O caminhão importado é isento de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Contudo, é preciso que o Imposto de Importação, de 35%, seja recolhido. A importação é feita de navio e leva aproximadamente um mês para chegar ao Brasil.

O valor do investimento não foi divulgado pela Corpus, mas os caminhões eT8A custam R$ 1,5 milhão cada na versão elétrica e R$ 300 mil na versão movida a diesel, no mercado.


Continua depois da publicidade


A Corpus atua em seis municípios de São Paulo e em Vitória, capital do Espírito Santo. A empresa foi fundada em 1987 e hoje tem uma frota de 400 veículos, dos quais 300 são caminhões.

A empresa tem aproximadamente 8 mil funcionários e está sendo investigada por por fraude em licitações do Consórcio Soma. Neste caso, a participação do grupo é de 18%. Ao Estadão, a empresa informou que “trabalha dentro dos critérios da legalidade”.

SOBRE O BYD eT8A

O BYD eT8A possui compactador hidráulico para armazenar os resíduos recolhidos. O caminhão foi o primeiro veículo totalmente elétrico do mundo produzido em massa para essa finalidade.

O caminhão é alimentado por uma bateria de fosfato de ferro lítio, reciclável, com vida útil de até 40 anos. Com isso, o veículo não emite poluentes ou fumaça de escapamento na atmosfera. A manutenção é simples e o modelo é silencioso.

O modelo conta com transmissão automatizada, auxiliar de partida em rampa e freios de serviço automáticos quando o veículo não estiver em movimento. O torque máximo é de 1500 Nm.

Segundo o diretor comercial da BYD no Brasil, Carlos Roma, o custo de manutenção é de pelo menos um terço de um veículo a Diesel.




Comentários