ESPECIAL PUBLICITÁRIO

FEIMEC confirma confiança da indústria na retomada do crescimento econômico

Os muitos negócios realizados durante o evento, de 24 a 28 de abril, mostraram que fabricantes dos mais diversos segmentos estão dispostos a investir em novas máquinas, equipamentos e tecnologia para atender o mercado com mais competitividade

Consolidada como a maior feira do setor de máquinas e equipamentos da América Latina, a segunda edição da FEIMEC foi encerrada neste sábado, 28 de abril, no São Paulo Expo. Foram cinco dias de corredores e estandes cheios, muitos negócios realizados e oferta de conteúdo de alta qualidade em mais de 60 horas de seminários, workshops e palestras.

Para João Carlos Marchesan, presidente do Conselho de Administração da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, o crescimento de quase 70% na área da FEIMEC de uma edição para outra e a grande quantidade de expositores – 460 empresas que representam quase 1.000 marcas nacionais e internacionais – foram um sinal inequívoco da pujança, da confiança e da perseverança dos empresários do setor.

“A indústria de máquinas e equipamentos está fazendo sua parte, investindo em tecnologia e capacitação. Agora, precisamos que o Governo também faça a parte dele e melhore o ambiente de negócios com asreformas e a redução do custo do investimento. O próximo presidente, quem quer que seja, precisa assumir uma política de Estado voltada para o futuro do Brasil”. 

José Velloso, presidente-executivo da ABIMAQ, ressalta a importância da FEIMEC como propagadora do alto nível da indústria brasileira de máquinas e equipamentos.

“Vencemos a última fronteira da tecnologia. O Demonstrador de Manufatura Avançada que trouxemos para a feira é uma prova disso: foi desenvolvido em apenas três meses, com equipamentos e sistemas disponíveis no Brasil e acessíveis aos industriais de todos os segmentos. Esta terceira edição do Demonstrador foi mais compacta, mas muito mais avançada que as anteriores”, destaca Velloso.

Mais que isso, o dirigente ressalta que por toda a feira os visitantes puderam encontrar máquinas, equipamentos e soluções que atendem os conceitos da Indústria 4.0 e que vão ajudar a indústria brasileira a modernizar suas plantas para ganharem produtividade e se tornarem mais competitivas nos mercados interno e externo.

Na avaliação de Marco Basso, presidente da Informa Exhibitions, a segunda edição da FEIMEC representou a retomada da atividade industrial no Brasil ao superar todas as expectativas de visitação, negócios e oferta de conteúdo técnico. “O retorno que tivemos dos expositores foi extremamente positivo, e muitos se mostraram surpresos com a qualificação dos visitantes, a vinda de compradores de todas as regiões e a quantidade de marcas nacionais e internacionais representadas na feira”.

Para colaborar com as exportações da indústria brasileira de bens de capital mecânicos, a FEIMEC abrigou mais uma vez a Rodada Internacional de Negócios, ação de promoção comercial organizada pela ABIMAQ e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Durante dois dias (25 e 26) foram realizadas reuniões entre as empresas expositoras inscritas e importadores convidados de 10 mercados estratégicos para a indústria brasileira de máquinas e equipamentos: África do Sul, Argentina, Chile, Peru e Rússia.

De acordo com os organizadores, a expectativa de 40 mil visitantes foi amplamente superada. A feira recebeu estudantes, profissionais e compradores dos mais diferentes segmentos da indústria, como automóveis e autopeças, petroquímica, alimentos e bebidas, metalurgia, embalagem e rotulagem, construção e infraestrutura, e muitos outros.

A terceira edição da FEIMEC, em 2020, já está confirmada para os dias 5 a 9 de maio, no São Paulo Expo.

Inovação

O Demonstrador de Manufatura Avançada citado por Velloso foi um dos grandes destaques da FEIMEC 2018. Já no terceiro dia da feira, a visitação ao projeto havia superado a da segunda edição, na EXPOMAFE 2017, e a aprovação foi unânime. Isto porque o Demonstrador funcionou como um “laboratório aberto”, onde foram mostradas, na prática, 20 tecnologias integradoras de mais de 20 parceiros industriais.

Composto pela linha de produção propriamente dita, um cockpit com os sistemas de controle e gestão do processo produtivo e os clusters para apresentação das tecnologias empregadas, o Demonstrador de Manufatura Avançada da FEIMEC 2018 produziu durante todos os dias centenas de porta-gadgets que poderiam ser customizados pelos convidados.

Liderado pela ABIMAQ, o Demonstrador de Manufatura Avançada foi desenvolvido junto com empresas e realização técnica do SENAI. O projeto contou com o patrocínio do BNDES e das empresas Balluff, Beckhoff, Bosch Rexroth, Dassault Systemes, Furukawa, Informa Exhibitions, KUKA, Metal Work, PPI-Multitask, Prensas Schuler, Romi, Schneider, Sick, SKA e TOTVS.

Outro destaque da feira foi o Parque de Ideias, iniciativa pioneira que reuniu algumas das mais importantes instituições de ensino do País: FAAP, FEI, ITA, Instituto Mauá de Tecnologia, UFSC e USP. Todos os dias, o espaço esteve tomado por fabricantes, profissionais da indústria e estudantes, que acompanharam a ampla grade de palestras sobre inovação e puderam conhecer em primeira mão, nos estandes, os projetos dessas universidades para colaborar com o desenvolvimento da indústria.


Palavra do expositor

Maurício Lopes, gerente responsável pela comercialização de máquinas-ferramenta da ROMI no Brasil e coordenador da Comissão Organizadora da FEIMEC 2018 garante que o objetivo foi alcançado e atendeu às expectativas dos expositores. Para ele, o diferencial desta edição está na parceria com os clientes: organizadores e expositores atuaram em conjunto até a concretização do evento. "Essa foi a nossa principal estratégia para promover um bom trabalho e atrair visitantes interessados em fechar negócios", diz Lopes. “A ideia é manter a estratégia para as próximas edições”.

Falando pela ROMI, patrocinadora da FEIMEC desde a primeira edição, Lopes diz que está otimista com o aquecimento do mercado e que as expectativas da empresa foram superadas. A Romi aproveitou a feira para lançar a Linha D de centros de usinagem vertical, cuja principal característica é proporcionar competitividade ao usuário. "O evento trouxe a resposta esperada no que diz respeito à comercialização dos produtos, relacionamento com o cliente e prospecção de novos contatos". Também da Romi, o chefe de Marketing Gerson Martins diz que a FEIMEC se tornou referência no setor, e que a feira está consolidada e apta a atender o mercado.

Em sua participação na FEIMEC, a TRUMPF fechou negócios e deixou outros engatilhados. "Vimos que a economia está se recuperando e isso é super positivo", disse João C. Visetti, diretor-presidente da empresa. Ele frisou que percebeu o interesse dos visitantes, que estavam na feira à procura de bons produtos e preços satisfatórios.

Para a SCHUNK, a FEIMEC foi de grande importância, principalmente por confirmar a melhora do mercado, com visitantes qualificados. “Nestes cinco dias de feira, discutimos grandes projetos e esperamos, com isso, colher os frutos do investimento feito no evento”, diz Mairon Anthero, diretor Administrativo da empresa. O executivo destaca a grande quantidade de visitantes com poder de decisão, tanto de grandes como de pequenas empresas. “O número de visitantes superou as nossas expectativas e o pavilhão atende perfeitamente nossa necessidade. Conseguimos mostrar nossos produtos para os clientes e de que forma atendemos e trabalhamos com a indústria. Sem dúvida nenhuma, a FEIMEC nos trará ótimos resultados até o final do ano”.

“Tivemos uma grande estreia na FEIMEC. O evento atraiu indústrias de todo o País e também do exterior interessadas em novidades para otimizar seus processos e garantir mais produtividade e economia”, ressalta Walter Strebinger, diretor da fabricante de especialidades químicas QUIMATIC TAPMATIC. “Além de gerar um reforço de vendas importante para a nossa expectativa de crescimento anual, a exposição nos permitiu trocar experiências com os visitantes, o que é sempre muito válido para o constante desenvolvimento técnico de nosso portfólio”.

Pela primeira vez na FEIMEC, a ESAB se mostrou positivamente surpreendida. Além dos bons negócios que fez, pelos quais a empresa sentiu o mercado mais otimista, a empresa destaca a organização do evento. Segundo Virgínia Soares, responsável pelo Marketing da empresa, "a diferença está no suporte ao expositor e no relacionamento com o visitante ao longo dos dias de exposição, graças ao trabalho de divulgação pré-evento".

De acordo com Ennio Crispino, gerente de Vendas da EUROSTEC, o nível de visitação no estande da empresa superou a expectativa já no primeiro dia da FEIMEC 2018. “Foram fechadas vendas que já estavam em andamento antes da feira, bem como outras novas aconteceram ao longo dos cinco dias”. Para Crispino, o pós-feira está sendo considerado muito importante para a empresa, em virtude das boas prospecções proporcionadas pela feira.

Ricardo Jorge Cruz, gerente geral de Projetos de Vendas da GROB, destacou o nível de visitação: “Ótimo, muitas novidades e negócios: já realizados desde o primeiro dia". Ele diz que se surpreendeu com a quantidade de segmentos industriais presentes na feira, bem como com o emprenho do evento em estimular projetos de pesquisas e desenvolvimento.

"Foi a melhor feira para a Starrett dos últimos anos", comemora Felipe Fabrega Teixeira, gerente de Produtos da STARRETT. Fabrega alega que a FEIMEC incentivou o poder de compra dos visitantes. “A Starrett fechou negócios com a venda de grandes máquinas e conseguiu contato com uma série de distribuidores potenciais”. Nas contas do gerente, nesta edição a empresa teve êxito de 15% a 20% nos negócios em comparação com diversas feiras anteriores.

A SEW EURODRIVE aproveitou o evento para fixar a sua marca no mercado. Celso Santos Fonseca, gerente regional de Vendas, se mostrou bastante satisfeito com o nível de visitação em seu estande, pois acredita que só assim os negócios acontecem. Para essa empresa, o objetivo foi aproveitar iniciar a negociação com o cliente, dando continuidade após o evento. "A SEW atingiu o resultado esperado, portanto, a FEIMEC já pode contar com nossa participação na próxima edição".

Para Ricardo Braghittoni, gerente de Vendas da STÄUBLI, o ponto alto da participação da empresa na FEIMEC 2018 foram as vendas dos robôs. "Os negócios foram melhorando a cada dia que passava”. A participação de estudantes no evento também chamou a atenção do gerente da Stäubli, que elogiou a parceria entre a feira e Senai.

A PRENSAS SCHULER considera importante estar em uma feira técnica como a FEIMEC para viabilizar o relacionamento com clientes importantes, já que a empresa fecha negócios e trabalha sob encomenda. Segundo a assistente executiva de Marketing Patricia Martins, a divulgação é o principal objetivo da companhia ao participar do evento. “Foi possível mostrar novas tecnologias na feira, o que ajuda no desempenho dos negócios, já que a demanda é o que move a linha de produção da Prensas Schuler". 

"Full Time" foi o termo usado por Agnes Gedrat, administradora de Vendas e Marketing da HELLER para descrever o movimento do estante da empresa na FEIMEC 2018. A Heller recebeu a visita de clientes potenciais, universitários interessados nas tecnologias da empresa e realizou grandes negócios. Segundo Agnes, a expectativa foi superada tanto em vendas quanto em relacionamento.

Um aumento de 30% a 40% nas vendas foi o que a TECNIGRAV conquistou na FEIMEC 2018. Rodrigo Mello, técnico em Vendas, registrou o contentamento da empresa com a feira, principalmente no que diz respeito ao público. “Foi essencial a divulgação pré-feira, de modo que trouxe o cliente até o estande e levou ao fechamento dos negócios".

A ABB se surpreendeu com a FEIMEC desde o primeiro dia. Com 10% de crescimento nas vendas durante a feira, a empresa considera que o suporte e organização foram primordiais para o sucesso dos expositores. "A Feimec se consolidou como a melhor das feiras do setor, viabilizando a participação da ABB", diz Jessica Pires, assistente de Marketing da ABB.

Também marcando presença na Feimec 2018, a JUNKER se mostrou satisfeita com a feira, principalmente pelos bons contatos que fez. Dirk Huber, diretor do grupo Junker no Brasil, destacou que a maioria dos visitantes era tomadora de decisão. “Iniciamos uma negociação e vendemos a máquina no mesmo dia, o que é sinal de sucesso e satisfação”, diz o executivo.

Sobre a participação da CTS (Tecnologias e Serviços de Compressão de Ar) do Grupo Ingersol, Fabio Narahara, líder de Marketing na América Latina para tecnologias e serviços de compressão, disse estar surpreso com o movimento tanto de pessoas e oportunidades, quanto nos negócios fechados nos últimos dias. “A empresa já planeja  estar na próxima edição da feira”. Raquel Antonio, especialista de Marketing, avaliou  que o grupo teve o retorno esperado de todo o seu investimento na FEIMEC, que mostrou, além de tudo, um reaquecimento do setor.

Para a ARO (Gerenciamento de Fluidos), também do Grupo Ingersoll, "a Feimec 2018 foi extremamente positiva”, segundo Cristian Drewes, diretor de Vendas. O executivo destacou a quantidade e qualidade do público, que se mostrou interessado nos produtos. Ainda segundo o diretor, foram geradas oportunidades significativas de negócios nessa edição da FEIMEC.

CONTEÚDO DE RESPONSABILIDADE DO ANUNCIANTE

Conteúdo patrocinado por:

Large_feimec



Comentários