Alemã Vogelsang instala fábrica em São Leopoldo

O grupo deve investir cerca de R$ 3 milhões, além dos R$ 1,5 milhão s serem desempenhados na compra do terreno.


Continua depois da publicidade


A empresa alemã Vogelsang, especializada em peças para bombas de efluentes, irá se instalar em São Leopoldo no segundo semestre do ano que vem. Para a edificação da fábrica, o grupo deve investir cerca de R$ 3 milhões, além dos R$ 1,5 milhão s serem desempenhados na compra do terreno. Presente em 25 países, esta será a planta da empresa na América Latina.

A intenção da companhia é aumentar a capacidade de produção da Beto Bombas, adquirida no final de 2016 pela multinacional. "Arrecadamos anualmente cerca de R$ 10 milhões, é uma capacidade pequena de produção, pretendemos quintuplicar isto", comenta o diretor da empresa, Walter Carlos Wetzel, que esclarece que a bandeira da nova planta fabril será alterada para a da empresa mãe. "Parte alemã da produção da Volgesang passará a ser fabricada aqui, visando o mercado externo", explica Wetzel, que ressalta que a produção terá foco no mercado externo, especialmente em clientes já captados pela marca nos Estados Unidos.

O executivo ainda explica que a previsão para o curto prazo é a abertura de pelo menos mais duas filiais em solo latino. No momento, o grupo procura terrenos viáveis para a construção de plantas fabris na Argentina, no Chile e no Peru. Para o Brasil os planos de expansão passam pela criação de filiais nos principais estados do País, aos quais Wetzel não exemplifica. O prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, trabalhou na captação da empresa. "Negociamos há bastante tempo, tínhamos seis lotes em nosso Distrito Industrial e cinco passaram a ser da Vogelsang", relata.


Continua depois da publicidade


O gestor explica que o terreno de mais de 15 mil metros quadrados, avaliado em R$ 1,5 milhão, foi transferido para a empresa alemã mediante sinal de 40% do valor total, ou seja, cerca de R$ 600 mil em cerimônia realizada em seu gabinete na última quarta-feira. O restante será quitado em 48 parcelas reajustadas apenas pelo INPC. A expectativa do executivo é de que 70 vagas de trabalho sejam criadas.

Confiança da indústria tem sexta alta consecutiva

O Índice de Confiança da Indústria, da Fundação Getulio Vargas (FGV), teve alta de 1,3 ponto em dezembro de 2017, chegando, após seis altas consecutivas, a 99,6 pontos. O índice encerra o ano com 14,9 pontos acima do registrado em dezembro de 2016. Tiveram melhora na confiança 11 dos 19 segmentos da indústria.

Segundo a coordenadora da Sondagem da Indústria, Tabi Santos, o resultado mostra que o setor industrial está confiante de que a economia continuará em recuperação em 2018. "O resultado de dezembro traz boas notícias. A indústria percebe a melhora do ambiente de negócios e acredita na manutenção dessa trajetória favorável nos próximos meses", ressaltou.

O Índice de Expectativas subiu 1,4 ponto e ficou em 100,8 pontos, o maior desde junho de 2013, quando o indicador estava no patamar de 105,1 pontos. A proporção de empresas que esperam melhora dos negócios subiu de 42,7% para 45,7%.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada aumentou 0,3 ponto percentual entre novembro e dezembro (74,5%). A sondagem foi elaborada a partir das informações coletadas com 1.101 empresas entre os dias 1 e 22 deste mês.




Comentários