Máquinas e equipamentos puxam alta da produção industrial

Fonte: Portos e Navios - 06/08/07

O crescimento de 17,5% do setor de máquinas e equipamentos, principal responsável pelo aumento de 4,8% da produção industrial brasileira no primeiro semestre deste ano, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é reflexo do fortalecimento dos segmentos de petróleo e gás, siderúrgico, mineração, papel e celulose e açúcar e álcool.

A análise é do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Aubert Neto. Conforme o industrial, o crescimento do setor começou há um ano e, desde então, a melhora é crescente. Dois fatores contribuíram, em sua análise, para o destacado resultado: o aumento da renda da população e a redução da taxa básica de juros.

Por que [o segmento] automóvel subiu tanto e está batendo recordes?", questiona Aubert Neto. "Porque hoje você está financiando automóvel em 60 vezes, em 72 prestações, com juros que fazem a prestação começar a caber no bolso do consumidor, responde.

Essa situação, no entanto, na avaliação de Aubert Neto, não se verifica em alguns segmentos da indústria de bens de capital. Ele lembra os casos da indústria têxtil e das empresas de máquinas para calçados, que enfrentam pesada concorrência da China.

A Abimaq representa cerca de 4.500 empresas dos mais diferentes segmentos fabricantes de bens de capital, cujo desempenho tem impacto direto sobre os demais setores produtivos nacionais.
Tópicos:



Comentários