Daimler investe 25 milhões em táxis voadores

Projeto futurista de um táxi voador movido a energia elétrica, o eVTOL acaba de receber um importante contributo da Daimler, com vista à sua materialização muito em breve.

Tecnológica alemã que possui como principal projecto a criação do primeiro táxi voador movido a energia elétrica, também conhecido como eVTOL, a Volocopter acaba de receber uma injeção financeira de cerca de 25 milhões de euros, com vista à concretização do desafio assumido. Entre os novos investidores está a empresa-mãe da Mercedes-Benz, a Daimler.

Este investimento, realizado por um consórcio no qual participa, além do fabricante automóvel, o empreendedor polaco Lukasz Gadowski, entre outros, leva a própria Volocopter a reconhecer que “irá ajudar a acelerar a primeira fase da materialização do modelo de produção e a conquistar mercado para os táxis aéreos”. Os quais, garante, são um transporte “seguro, silencioso e amigo do ambiente”, além de “adequado para o transporte de dois passageiros”.

Fotos: Divulgação

O forte compromisso financeiro assumido pelos nossos novos investidores é um sinal, mas também a prova da crescente confiança no novo e emergente mercado deste tipo de aeronaves, enquanto táxis aéreos individuais”, acrescenta o director executivo da Volocopter, Florian Reuter. “Fizemos questão de encontrar um leque de investidores estratégicos e empreendedores, algo que conseguimos na perfeição com as entradas da Daimler e de Lukasz Gadowski.”


Continua depois da publicidade


A primeira exibição pública do veículo aéreo da Volocopter deverá ser levada a cabo com o apoio da Autoridade de Transportes e Estradas do Dubai, já no último trimestre deste ano. Sendo que a escolha deste país para as primeiras demonstrações do táxi aéreo deve-se ao facto de o Dubai ter como objectivo declarado o transporte de 25% da população por meios autónomos, até 2030.

Imagem: Divulgação

Também com o intuito de acelerar o desenvolvimento e o início da comercialização do seu táxi aéreo, a Volocopter propõe-se contratar mais engenheiros especialistas em sistemas de voo, software e propulsão eléctrica. Até lá, pode ver como funciona o protótipo:

Tópicos:



Comentários ()