Reflexos da automação industrial no cotidiano será um dos temas da Schunk em coletiva na Expomafe 2017

Os especialistas da empresa no Brasil irão traçar um panorama sobre os mega trends do segmento: robôs colaborativos, Indústria 4.0 e o mercado de automação industrial

Entre os assuntos mais comentados na indústria nos últimos tempos são os impactos da automatização dos processos de produção com a inserção de robôs e garras cada vez mais inteligentes e atualmente, inclusive, em aplicações chamadas colaborativas, ou seja, nas quais o humano e o robô trabalham em cooperação.

Dentro desta tendência intercontinental, a Schunk Intec-Br., subsidiária brasileira da empresa familiar alemã Schunk GmbH & Co. KG, líder competente em sistemas de garras e tecnologias de fixação, utilizará toda a sua expertise mundial em uma coletiva de imprensa durante a Expomafe 2017, para esclarecer as principais preocupações do mercado nacional com reflexões de como possivelmente se dará o processo de automatização industrial no longo prazo no Brasil.

Imagem: Divulgação

O tema central da coletiva da Schunk será os reflexos da automação no cotidiano, que tem como principal objetivo desmistificar e quebrar paradigmas sobre como a manufatura avançada irá influenciar no dia a dia de nossa vida e das empresas, desde a uma simples ida a um cinema, bem como, as complexas interações dos sistemas de uma empresa para a produção de um simples produto.


Continua depois da publicidade


Em paralelo, será esclarecido pontos sobre as aplicações de robôs colaborativos e o longo processo que o mundo está passando para chegar próximo ao conceito da Indústria 4.0. Aproveitando-se de um de seus carros chefes, o sistema de garras, será esclarecido sobre as exigências que uma simples garra deve ter para ser utilizada em uma aplicação colaborativa, ou no conceito da Indústria 4.0.

Por fim, a Schunk apresentará aos participantes de sua coletiva de imprensa, cenários e dados sobre o mercado, sobre a própria empresa no mundo inteiro, bem como as vastas oportunidades que as empresas podem aproveitar nesse momento para seguir com a automatização da indústria brasileira.




Comentários