Produção de motos cresce 1,6% no trimestre

Ritmo ainda fraco no setor leva indústrias a demitir cerca de mil trabalhadores.

A produção de motos no primeiro trimestre de 2017 somou 231,4 mil unidades, registrando leve alta de 1,6% sobre o mesmo período do ano passado, quando as fabricantes de Manaus tiraram o pé do acelerador por causa de estoques elevados. 

O fraco ritmo que ainda persiste no setor de motocicletas levou as fabricantes de motos e motopeças instaladas em Manaus a demitir.

“Não temos um número exato, mas creio que cerca de mil trabalhadores foram desligados neste primeiro trimestre”, diz Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, entidade que reúne fabricantes do setor. 

O segmento tinha 18 mil trabalhadores em 2011, mas com os novos cortes caiu para aproximados 12 mil. “O número atual tende a se manter nos próximos meses, de agora em diante deve haver apenas cortes pontuais ou a não reposição daqueles que deixarem o emprego”, diz Fermanian. 

A análise por faixa de cilindrada indica que a produção de modelos até 160 cc (os mais relevantes em volume) registrou queda de 4,6% ante o primeiro trimestre de 2016. O segmento imediatamente acima, de 161 a 449 cc, anotou alta de 44,8%, ajudado por lançamentos como a Honda XRE 190 e o scooter SH 300i. 

A exportação no primeiro trimestre somou 17,4 mil unidades e crescimento de 26,9% sobre o mesmo período de 2016. Até o fim do ano a estimativa é de alta de 57,6%, mas com um volume total pequeno, de 93 mil embarques. 

O principal destino das motos brasileiras é a Argentina, que absorveu 77,5% das vendas externas do primeiro trimestre. Colômbia, Canadá e Estados Unidos vêm a seguir, ocupando o segundo, terceiro e quarto lugares. Neste primeiro trimestre o País também exportou para nações como Austrália, México, Costa Rica, Uruguai, Guatemala e Nicarágua. 

A maior dificuldade que as motos brasileiras enfrentam é seu alto custo ante os modelos chineses vendidos nesses mercados.

Em entrevista coletiva concedida na quarta-feira, 12, os fabricantes de motos revelaram também que as vendas por Crédito Direto ao Consumidor (CDC) ganharam espaço no primeiro trimestre .

Tópicos:



Comentários