Volvo Bus aumenta market share no Brasil e cresce em importantes mercados da AL

Com capacidade ociosa na fábrica paranaense, montadora vai investir em tecnologias e instalações para o desenvolvimento de produtos.

A Volvo Bus Latin America conseguiu um ligeiro crescimento em seu market share no Brasil no ano passado, mesmo num cenário econômico de grandes dificuldades. A marca saltou de 9,3% para 9,5% de participação de mercado nos segmentos de ônibus urbanos e rodoviários. A empresa também registrou expansão nos negócios em alguns importantes países da região hispânica.

“2016 foi um ano de transição. Esperamos que a economia brasileira reaja gradativamente a partir de agora”, afirma Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Bus Latin America. Durante esse período, a vocação exportadora da Volvo na America Latina contribuiu para o equilíbrio do negócio.

As exportações representam mais da metade dos negócios no ano passado. A Volvo avançou em alguns importantes mercados hispânicos, aumentando, por exemplo, sua participação em 65% no Peru, alcançando inéditos 30% de market share no segmento de ônibus rodoviários naquele país. “A cada três chassis vendidos no Peru, um é da Volvo”, comemora Todeschini. Na Colômbia, outro importante mercado na região, a Volvo cresceu 20% e atingiu 17% de market share também com ônibus rodoviários.


Continua depois da publicidade


Atualmente, as exportações correspondem a 53% das vendas da Volvo na América Latina. “As vendas externas foram muito importantes para equilibrarmos nossos negócios e compensar a queda no mercado doméstico. Este ano, esperamos fazer novas vendas externas, principalmente na América Central, onde existe a possibilidade de negócios com volumes maiores”, informa o presidente.

Investimentos

Todeschini explica que os resultados obtidos no ano passado e a garantia dos negócios em 2017 foram e serão apoiados graças aos investimentos e lançamentos de novos modelos. Mesmo com o mercado deprimido, a Volvo lançou o biarticulado de 30 metros, o maior ônibus do mundo, e o B310R, um chassi rodoviário 4x2 com motor de 310cv, desenvolvido especialmente para os segmentos de fretamento e viagens curtas e de médias distâncias. Em 2016 a empresa fez também testes com seu chassi elétrico híbrido em linhas reais de Curitiba. Comparando com os ônibus a diesel, o veículo obteve uma redução de 65% de consumo de combustível. A Volvo segue como líder em eletromobilidade para veículos comerciais, com mais de três mil unidades em todo mundo.

Com um mercado ainda em baixa e com previsão de recuperação lenta, o presidente da Volvo Bus Latin América acredita que uma das possibilidades de negócios no Brasil a partir deste ano são as PPPs (Parcerias Público Privadas). A proposta da Volvo nesta área é o CIVI (City Vehicle Interconnect), uma evolução dos sistemas BRT (Bus Rapid Transit). Projetado para operar com ônibus híbridos e ferramentas de conectividade, o modelo prevê soluções de transporte urbano inteligentes e criativas, com alta capacidade de passageiros, investimentos menores, agilidade de implementação e baixo custo operacional, além de menor impacto ambiental. ”A Volvo reforça sua vocação de inovação para uma Mobilidade Inteligente”, finaliza o executivo.

Tópicos:



Comentários