OCDE prevê queda maior do PIB no Brasil em 2016 e estagnação em 2017

Economia brasileira só voltaria a crescer em 2018, estima a organização.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê uma queda maior da economia brasileira em 2016 e uma retomada do crescimento apenas em 2018. A instituição revisou nesta segunda-feira (28) suas projeções de crescimento para a economia global.

Antes, a OCDE projetava uma queda de 3,3% no PIB brasileiro em 2016, número que foi ampliado para 3,4%. Para 2017, a estimativa melhorou: a instituição passou a projetar a estagnação da economia no ano que vem, contra uma previsão anterior de queda de 0,3% no PIB. Para 2018, a expectativa é de crescimento de 1,2% no PIB.

A OCDE espera uma aceleração do crescimento global em um ritmo superior ao que projetava anteriormente. Em seu Panorama Econômico, a organização estimou que o crescimento global será de  2,9% este ano, 3,3% em 2017 e chegará a 3,6% em 2018.

Um dos motivos para a revisão foi a vitória de Donald Trump nas eleições americanas. Os cortes de impostos planejados pela administração de Donald Trump e os gastos públicos devem aquecer a economia dos Estados Unidos, disse a OCDE.

Brasil é destaque negativo do G20

O relatório pervê que o Brasil tenha o pior desempenho entre o G20 (grupo das maiores economias do mundo) em 2016 e em 2017. Já o país com a previsão de pior desempenho do G20 depois do Brasil será a Argentina, cujo PIB deve cair 1,7%.

Na outra ponta está a Índia (7,4%), que lidera o ranking, seguida por China (6,7%), Indonésia (5%) e Espanha (3,2%). No que vem, de acordo com a organização, a Índia deve continuar na liderança (7,6%). Completam o topo da lista China (6,4%), Indonésia (5%) e Turquia (3,3%).

Tópicos:
        



Comentários