Importações de máquinas voltam a cair e Brasil tem pior 3º tri em nove anos

Estudo da Abimei indica que compra de bens de capital do exterior caíram em US$ 300 milhões entre agosto e setembro deste ano.

Com uma previsão de queda de 30% no faturamento, as empresas que importam e vendem máquinas industriais no Brasil devem ter no ano de 2016 o pior trimestre da história, com um prognóstico muito mais grave do que a crise internacional de 2008/2009 apresentou.

De acordo com um estudo da Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais (Abimei), neste ano o volume de compras de máquinas no exterior deve cair em 38% (maior queda registrada da história). Na avaliação da entidade, embora isso possa favorecer a balança comercial, é uma péssima notícia para o setor produtivo, pois a indústria nacional precisa de maquinário importado para se tornar mais produtiva, inclusive para exportar.

Dados

Setembro voltou a registrar queda no volume de importações de bens de capital no Brasil. A trajetória de compras das empresas brasileiras estava estabilizada desde abril, caiu de US$ 2,471 bilhões em agosto para US$ 2,155 bilhões em setembro. Com a queda, o período de julho a setembro de 2016 foi o pior terceiro trimestre de um ano desde 2007, ano anterior à crise dos subprimes nos Estados Unidos, que teve consequências globais.

Perspectivas

A esperança dos importadores, que em 2015 já perderam 25% de seu faturamento, era que a confirmação do impeachment desse alguma tranquilidade política ao país e, em consequência, trouxesse melhores perspectivas econômicas e maior confiança do investidor. Isso, na avaliação da ABIMEI, não se confirmou.




Comentários