Trumpf levará manufatura aditiva ao Cintec 2016

Aplicações na indústria e vantagens na tecnologia serão um dos temas da palestra.

O engenheiro de aplicação da Trumpf do Brasil, Carlos Alberto Ferreira Jr, será um dos palestrantes do Cintec - Congresso de Inovação Tecnológica de Fundição, que acontece paralelamente à Feira Metalurgia, no Expoville, em Joinville (SC), entre os dias 13 e 16 de setembro.

Com o tema "3D printing of metal parts - the world of additive manufacturing" (Impressão 3D de peças metálicas - o mundo da manufatura aditiva), a Trumpf abordará, no dia 13 de setembro, o desenvolvimento de mercado, vantagens dos processos Laser Metal Fusion (LMF) e Laser Metal Deposition (LMD) da manufatura aditiva (ou impressão 3D) e suas diferenças, além de esclarecer e indicar as aplicações corretas para cada tipo de indústria.  

Segundo o engenheiro de aplicação da Trumpf do Brasil, a empresa foi escolhida para apresentar o tema no Cintec por estar sempre à frente quando o assunto é inovação tecnológica. "Somos líderes mundial em tecnologia laser. O processo de manufatura aditiva é novo e promissor. A Trumpf tem um departamento em Ditzingen, na Alemanha, onde há pesquisa e desenvolvimento do processo de LMF. Recentemente, lançamos no Brasil a TruPrint Serie 1000, capaz de produzir componentes em qualquer forma geométrica com elevadas propriedades mecânicas, a partir de diversos materiais, entre eles aço ferramenta, ligas de níquel, cromo, cobalto, alumínio e titânio", comenta o palestrante.

De fato, a manufatura aditiva é apontada como o futuro da indústria. Com ela pode-se construir qualquer objeto tridimensional a partir de um modelo digital, o que permite flexibilidade nos trabalhos quando comparada a processos clássicos, onde ferramentas devem ser construídas primeiramente. Ferreira aponta algumas das vantagens da aplicação 3D na indústria: redução de peso entre 30 e 50%, melhores propriedades mecânicas, processos mais ágeis, menor investimento, possibilidade de produção de pequenos lotes e estruturas especiais. Em outras aplicações, a customização ou a personalização é um plus. Fabricantes de joias podem produzir peças únicas. "Ao utilizar um desenho 3D, tudo é possível: ferramentas simples ou complexas, moldes e até aplicações na medicina e odontologia. Há um grande potencial na indústria aeronáutica, por exemplo, na construção de turbinas. Existe um interesse em diversas áreas no processo de manufatura aditiva", explica Ferreira.




Comentários