Brasil reúne clima, crédito e tecnologia para energia limpa

Produtos Omega podem ser utilizados em equipamentos de geração de energia.


Continua depois da publicidade


As fontes limpas e renováveis contribuíram, pela primeira vez, em 2015, com mais que a soma das fontes “sujas” (fósseis e nucleares) e de hidrelétricas para o aumento da capacidade de geração de energia no planeta. 

O Brasil exibe enorme potencial neste campo pois, além de condições climáticas e incentivos como linhas de crédito de instituições financeiras, tem disponível a tecnologia necessária, como a disponibilizada pela Omega no país. 

Segundo o relatório “Tendências globais sobre investimento em energias renováveis 2016” da ONU, o investimento em energias renováveis vem crescendo desde 2007 e já configura um mercado global, no qual o Brasil está entre os 10 maiores investidores.

O país se destaca por ocupar a vice-liderança em investimentos em energia hidroelétrica, de biodiesel e etanol, atrás da China, e o quarto em energia eólica, apesar de estar na 7ª posição em total aplicado com US$ 7,1 bilhões em 2015. 


Continua depois da publicidade


Além do aspecto ambiental, os investidores se deram conta que as tecnologias renováveis são competitivas financeiramente e, cada vez mais, são priorizadas por empresas, países e investidores.

O grande potencial do país nestes campos, dadas as condições climáticas, já começa a ser aproveitado. Segundo a Associação Mundial de Energia Eólica, o país registrou em 2014 o terceiro maior crescimento de mercado, atrás somente de Índia e Estados Unidos. 

O Brasil, certamente, pode ser um dos protagonistas e, inclusive, o setor bancário nacional já oferece diversas linhas de crédito para financiar o investimento neste tipo de tecnologia, especialmente a eólica e solar. 

Tecnologia 

Quanto à tecnologia, a Omega Engineering disponibiliza componentes que podem ser utilizados em equipamentos de geração de energia como o Sensor/Transmissor infravermelho OS136.  

A vantagem de um infravermelho é poder medir temperatura sem contato, o que é bastante útil quando se tem algum componente em movimento. 

Outro benefício é que normalmente esses ambientes são carregados de campos eletromagnéticos que poderiam causar ruídos em sensores de contato, como termopares. A medição de temperatura por sensores infravermelhos não é afetada por essas fontes de ruídos. 

Como uma proteção adicional à eletrônica de transmissão, o OS136 vem com um cabo blindado de 1,8 m (6') para conexões de alimentação e de saída. Os modelos possuem saídas padrão da indústria para todos os medidores, controladores, registradores de dados, gravadores, placas de computador e PLCs. A emissividade fixa de 0,95 permite, também, uma medição rápida e fácil que não requer ajustes durante a instalação e o uso.




Comentários