Fio líquido pode ser usado no desenvolvimento de robôs mais flexíveis

Material é inspirado na teia de aranha

Pesquisadores descobriram um comportamento estranho em um fio de teia de aranha: ele se comporta como um líquido e como um sólido, dependendo das circunstâncias. Como eles conseguiram criar uma versão artificial desse "fio líquido", estão propondo que o material poderá encontrar aplicações em campos como o da "robótica macia", que trabalha no desenvolvimento de robôs de corpo mole e flexível, mais parecidos com os organismos vivos.

Hervé Elettro, da Universidade Pierre e Marie Curie, na França, estava estudando a "seda de captura" das aranhas, a seda pegajosa usada para formar a espiral da teia, em vez dos fios radiais que as mantêm juntas. Quando esticou a seda, ele verificou que ela se estende como uma mola, como seria de se esperar de um material sólido. Mas quando ele comprimiu a seda, o material permaneceu tensionado, em vez de perder a firmeza no meio, como geralmente acontece com os fios.

Por exemplo, imagine uma película de sabão suspensa entre dois suportes: se você aproximar os suportes, a película se contrai; se você separá-los, ela vai romper. A seda de captura parece oferecer o melhor dos dois mundos, adaptando seu tamanho para o espaço que necessita preencher.


Continua depois da publicidade


Fio líquido

Elettro conseguiu replicar esse comportamento tecendo fios de plástico revestidos em óleo de silicone, etanol e outros líquidos, criando o que ele chama de "fios líquidos". Como esse tipo de movimento é responsável também pela pressão das mandíbulas da planta carnívora Dioneia (Dionaea muscipula), a equipe acredita que seus fios líquidos poderão ser úteis no desenvolvimento de tecnologias semelhantes no campo da robótica, eventualmente no papel de músculos artificiais.

Tópicos:



Comentários