Minério de ferro e aço recuam na China após máximas de 15 meses

Alta acumulada é de 54% desde o início do ano


Continua depois da publicidade


Os preços do minério de ferro no mercado à vista da China recuaram nesta segunda-feira pelo segundo dia consecutivo após terem tocado uma máxima 15 meses na quinta-feira, enquanto na bolsa de Xangai os contratos futuros do aço recuaram após uma máxima de 19 meses, depois que as bolsas chinesas de commodities tomaram medidas para desestimular compras especulativas.

As bolsas domésticas de commodities elevaram os custos de transações para alguns contratos futuros voláteis, incluindo o vergalhão de aço e o minério de ferro, para frear demanda. O contrato mais ativo do vergalhão de aço em Xangai recuou 0,3% nesta segunda-feira. Uma rápida alta levou o contrato na semana passada para sua máxima desde junho de 2015. A alta acumulada é de 54% desde o início do ano.

"As medidas das bolsas estão tendo impacto nos mercados, já que a alta recente parece ter sido puxada por investidores financeiros mais do que por fundamentos", disse o analista Zhao Chaoyuem, da Merchant Futures, em Shenzhen. "As siderúrgicas, os comerciantes e os investidores ficaram preocupados com os ganhos, que foram rápidos demais, e o mercado precisa de um refresco", acrescentou. 

Alguns analistas manifestaram preocupação de que a alta dos preços do aço possa ser insustentável devido à falta de forte recuperação da demanda e em meio a uma elevação na produção.

O minério de ferro com entrega imediata no porto de Tianjin caiu 0,8% nesta segunda, para 65 dólares por tonelada, após tocar 68,70 dólares na quinta-feira, segundo dados do The Steel Index. O preço de referência do minério acumula alta de cerca de 53% este ano.




Comentários