Fibria investe mais de R$ 100 milhões em novas máquinas de colheita florestal

Empresa irá capacitar os empregados e prevê a criação de vagas adicionais para suprir a demanda.

A Fibria, empresa brasileira de base florestal e líder mundial na produção de celulose de eucalipto, deu mais um passo para atender o Projeto Horizonte 2, que está construindo uma nova linha de produção em sua unidade de Três Lagoas (MS).

Mesmo antes do início das operações, previsto para ocorrer no último trimestre de 2017, a Fibria já adquiriu junto à empresa Komatsu novas máquinas que serão responsáveis por colher, descascar e baldear a madeira até a beira da estrada para ser transportada para a fábrica. O investimento nos novos equipamentos será superior a R$ 100 milhões.

“Compramos as máquinas para o processo de colheita que atenderá o Projeto Horizonte 2. Teremos os Harvesters, equipamentos responsáveis pela colheita e descascamento do eucalipto no campo, e os Forwarders, que farão o transporte da madeira até o caminhão que as levará para a fábrica. Essas máquinas possuem a melhor performance no mercado e irão garantir o abastecimento da nova linha com custos de produção bastante competitivos”, afirma Aires Galhardo, diretor executivo Florestal da Fibria.

As máquinas possuem cabines equipadas com ar condicionado e os melhores padrões de conforto e segurança. São hidráulico-eletrônicas com alto grau de tecnologia aplicada, permitindo ao operador comandá-las por meio de joysticks elétricos, com mínimo esforço e muita precisão.

“Ofereceremos treinamento para que os empregados operem os novos equipamentos em segurança. Para isso, faremos uso de simuladores 3D (como simuladores de avião) que representarão a atividade em andamento antes mesmo disso acontecer, utilizando todo o conhecimento e experiência da Fibria na formação de operadores e mecânicos de colheita florestal”, diz Tomás Balistiero, gerente geral de operação da Fibria em Mato Grosso do Sul.

Geração de emprego


Continua depois da publicidade


Com o aumento de produção e a aquisição das novas máquinas de alta tecnologia, a Fibria pretende abrir mais de 700 novos postos de trabalho dedicados ao processo de colheita durante todo o ano de 2016.

“Os novos equipamentos possuem alta performance, custos competitivos e demandarão mais pessoas diretamente envolvidas no processo. Um grande impulso para geração de emprego, economia e profissionalização da região”, diz Tomás.

As obras do Projeto Horizonte 2 começaram em 2015 e seguem dentro do cronograma. Com investimento de R$ 8,7 bilhões (equivalente a cerca de US$ 2,2 bilhões), o projeto de expansão da Fibria, que entrará em operação no último trimestre de 2017, vai gerar ao longo das obras 40 mil empregos e, ao final do projeto, 3 mil postos de trabalho diretos e indiretos. A Unidade de Três Lagoas terá sua capacidade de produção aumentada em 1,75 milhão de toneladas de celulose/ano. Com a ampliação, a unidade da Fibria em Três Lagoas somará capacidade de 3,05 milhões de toneladas de celulose/ano, passando a ser uma das maiores fábricas de produção de celulose no mundo.




Comentários