Grupo InBetta investe R$ 100 milhões em nova fábrica em Pernambuco

Fabrica de Paulista vai aumentar em 20% a capacidade de produção do grupo, com sede em Esteio (RS).

O Grupo gaúcho InBetta - integrado por seis empresas dos segmentos de utensílios de limpeza para o lar, utensílios domésticos e ferramentas para pintura - vai ampliar sua participação em Pernambuco com a inauguração e uma nova fábrica. A companhia vai investir R$ 100 milhões na construção de uma planta no município de Paulista (na Região Metropolitana do Recife), que vai gerar 300 empregos diretos. A previsão é iniciar as obras num prazo de seis meses e entrar em operação no final de 2017. Ontem o governador Paulo Câmara e representantes da InBetta assinaram protocolo de intenção para instalar o empreendimento.

“Assim que as obras forem iniciadas, a nossa equipe de RH vai entrar em contato com a Prefeitura de Paulista para iniciar um programa de qualificação. Vamos precisar de operadores de máquinas, profissionais de produção e técnicos de manutenção. Os locais de qualificação serão divulgados numa etapa posterior”, diz o diretor Financeiro Corporativo da InBetta, Alexandre Tulini. Os funcionários selecionados também vão fazer treinamento na sede da empresa, em Esteio (Região Metropolitana do Rio Grande do Sul).


Continua depois da publicidade


A história da InBetta em Pernambuco começou em 2000, com a instalação de uma central de distribuição em Jaboatão dos Guararapes. Em 2008, o grupo construiu uma fábrica para produzir utensílios domésticos como potes, baldes e itens de cozinha da marca Sanremo. O complexo de Paulista vai fabricar produtos das seis empresas do grupo (Bettanin, Atlas, Sanremo. Primafer, Ordene e SuperPro) que, juntas, produzem mais de 4.500 itens vendidos no mercado brasileiro e exportado para 50 países.

Com a inauguração da fábrica de Paulista, a unidade de Jaboatão será descontinuada e a expectativa é realocar os 100 funcionários da planta. A nova unidade vai fabricar as vassouras, rodos, esponjas, desentupidores e outros itens da Bettanin; os pincéis, rolos e trinchas da Atlas; os potes de cozinha e lavanderia da Sanremo; os utensílios profissionais de limpeza da Primafer e os organizadores da Ordene. A planta vai aumentar em 20% a capacidade de produção do grupo, que faturou R$ 1 bilhão em 2015 e cresceu 3% mesmo em ano de crise.

“O Nordeste é a segunda região em vendas para o grupo, depois do Sul, com 20% de participação. Como temos um produto leve e volumoso, o transporte se torna dispendioso, sendo mais interessante ter uma fábrica local para atender ao mercado nordestino”, explica Tulini. A Bettanin detém a maior parte do faturamento, com 35% de participação, seguida pela Atlas (27%) e pela Sanremo (20%).

Durante a assinatura do protocolo de intenções, o governador Paulo Câmara destacou a importância do investimento num cenário de recessão. “Pernambuco continua tentando manter a captação de investimentos num ano de incertezas, com previsão de queda no PIB, aumento do desemprego e persistência da inflação”, afirmou. O prefeito de Paulista, Junior Matuto, comemorou a implantação e espera que outras cinco empresas se juntem a ela e integrem um novo polo industrial no município.  




Comentários