AGCO mantém investimento no Brasil

Estão sendo investidos cerca de R$ 35 milhões no primeiro laboratório de controle de emissões em uma fábrica de equipamentos agrícolas no País.

A AGCO, fabricante e distribuidora mundial de equipamentos agrícolas, reuniu a imprensa nesta quarta-feira (26), em Brasília, para relatar as as condições de mercado atuais e a importância do Brasil para a estratégia de crescimento global do grupo.

"Nossa visão para o mercado sul-americano permanece otimista com a expansão da demanda por grãos, o que sustentará a economia agrícola e o crescimento saudável da nossa indústria.” disse Martin Richenhagen, Chairman, presidente e CEO da AGCO. "A queda na demanda no Brasil é resultado de um mercado mais brando no setor de açúcar, fraqueza da economia como um todo e mudanças nos programas de financiamento do governo", explicou Robert Crain, Vice-Presidente Sênior e Gerente Geral da AGCO para as Américas.

"A AGCO ainda continua a ter um bom desempenho e continuará investindo para aumentar sua produtividade em nossas fábricas, além de oferecer soluções de alta tecnologia que ajudam os produtores rurais a melhorar sua eficiência e produtividade". O Brasil apresenta uma grande escassez de instalações de armazenagem de grãos e a AGCO espera que este segmento cresça nos próximos anos. O aumento da produção agrícola na região do Cerrado contribuirá para o crescimento geral.


Continua depois da publicidade


A AGCO já vem expandindo as capacidades de seus negócios de armazenagem de grãos através da GSI (equipamentos para armazenagem e produção de proteína animal) para ajudar a atender esta demanda no futuro. As principais marcas da AGCO no Brasil, Massey Ferguson e Valtra, possuem forte participação de mercado no segmento de tratores agrícolas e uma participação crescente no segmento de colheitadeiras.

Os lançamentos de produtos da empresa para a América do Sul em 2015 incluem uma nova colhedora de cana de açúcar, pulverizadores, enfardadoras, tratores e colheitadeiras altamente tecnológicos. A colhedora de cana é um produto estratégico para o crescimento da AGCO, à medida que o negócio de cana de açúcar continuará sendo um fator-chave de crescimento para a indústria agrícola na América do Sul. Os produtores rurais precisam de um produto confiável e de alta performance, mas econômico para colher suas plantações de cana de açúcar que são altamente produtivas.

"Para fortalecer ainda mais a nossa posição de mercado, continuamos investindo em nossas plantas de produção no Brasil, nossa rede de distribuição e nossa infraestrutura de pós-venda em toda a América do Sul", afirma Bernhard Kiep, Vice-Presidente de Marketing, Pós-Venda, Gestão de Produtos e Desenvolvimento de Concessionários para a América do Sul.

"Por exemplo, atualmente estamos investindo cerca de R$ 35 milhões no primeiro laboratório de controle de emissões em uma fábrica de equipamentos agrícolas no Brasil." A AGCO também introduziu a Fuse Technologies no mercado sul-americano. A Fuse Technologies ajuda a minimizar o tempo de máquina parada enquanto melhora o negócio do produtor como um todo através da conectividade com a internet e serviços de diagnóstico. Neste sentido, a Fuse torna as propriedades rurais mais produtivas e rentáveis.

A AGCO fabrica equipamentos agrícolas em seis fábricas no Brasil e também uma na Argentina para o mercado sul-americano. As colheitadeiras são produzidas em Santa Rosa (RS), as colhedoras de cana são produzidas em Ribeirão Preto (SP) e os tratores são produzidos em fábricas localizadas em Mogi das Cruzes (SP) e Canoas (RS). Os implementos da AGCO são fabricados em Ibirubá (RS) e a fábrica da GSI fica localizada em Marau (RS). Os produtos são exportados para outros mercados da América do Sul e da América Central, mas também para mercados distantes da África (com foco na joint venture na Argélia).




Comentários