KSB Brasil inicia produção da bomba LSA no País

A KSB Brasil anuncia a nacionalização da bomba para serviços pesados, modelo LSA, desde o início do mês. A novidade, produzida na fábrica em Várzea Paulista (SP), vai permitir maior competitividade no atendimento ao mercado brasileiro, principalmente do setor de mineração. 

De acordo com Esther Honda, gerente de produto de bombas engenheiradas, “com a fabricação local, conseguiremos atender com nossos produtos nacionais uma gama maior de aplicações de bombas de polpa para mineração, principalmente nas Classes de Serviço 3 e 4”.

Vale acrescentar que a KSB já fabrica no Brasil, também em Várzea Paulista (SP), a linha de bombas de Polpa LCC, capacitada para as Classes de Serviço 01, 02 e 03. “A LSA, por sua vez, é mais robusta e atende polpas com sólidos grandes e em altas concentrações, permitindo assim ampla cobertura de aplicações no mercado de mineração", explica Honda.

Além desse segmento, segundo Jardel Ribeiro, supervisor de vendas da KSB Brasil, a LSA também pode ser utilizada em outras aplicações como em Água & Esgoto, Açúcar & Álcool, Lavagem de Gases, Dragagem, Siderurgia e até em Indústrias Químicas e Alimentícias quando há presença de sólidos. Para a nacionalização desse modelo foi adquirido know how da GIW Minerals®, empresa americana subsidiária da KSB e líder de mercado em bombas para mineração sediada em Grovetown, GA.

A bomba LSA possui o padrão básico de bombas de polpa horizontais, porém seu corpo de carcaça única, mais robusto, revestimento do bocal de sucção substituível com elevada espessura e rotor de quatro aletas de alta eficiência, proporciona vida útil prolongada em relação ao desgaste. Sua parte mecânica, apta a operar nas mais pesadas condições, traz eixo reforçado para prolongar a vida útil, caixa de selagem com placa de desgaste substituível, redução na vazão de água e anel de alívio de rotor para remoção segura e fácil.


Continua depois da publicidade


O conjunto de rolamento de cartucho bipartido oferece facilidade de inspeção e manutenção. E para otimizar vida útil e eficiência, diversas opções de material e projeto hidráulico podem sem usadas na mesma parte mecânica da nova bomba nacional.

A bomba LSA traz carcaça, rotor e revestimento do bocal de sucção projetados em ferro fundido branco (Gasite® WD28G e Gasite® WD18G). O pedestal é feito em aço carbono e o suporte de mancal em ferro fundido. O diâmetro de descarga varia entre 50 e 660 mm. Já a vazão vai de 20 a 13.600 m³/h com altura manométrica máxima de 90 m (dependendo da classe de serviço). A pressão de operação pode chegar a 16 bar nos modelos standards. A LSA também oferece pressões limites de até 49 bar, destinadas a linhas de rejeito e outras aplicações que combinam diversas bombas em série.

“A linha LSA já pode ser vista em diversas mineradoras como Vale, MRN, Kinross e entre outras. Com sua nacionalização, teremos mais flexibilidade e competitividade para comercializar este modelo em muitos outros clientes, com tecnologia e confiabilidade operacional”, diz Jardel Ribeiro.

Tópicos:



Comentários