Produção de máquinas e equipamentos surpreende analistas

Fonte: Metalica Jornal - 09/07/2007

Crescimento foi de 5,1%. Indica mais investimentos e consolida a visão de que o aumento da oferta tem sido feito por meio do incremento da capacidade produtiva

A alta na produção de bens de capital (usados no processo produtivo, como máquinas e equipamentos) foi apontada por analistas como o melhor aspecto da produção industrial de maio divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira, 4. O crescimento foi de 5,1%.

De acordo com os economistas do Unibanco, o resultado indica mais investimentos e ajuda a consolidar a visão de que o aumento da oferta tem sido feito por meio do incremento da capacidade produtiva. Para o Unibanco, o resultado foi uma surpresa, acima de sua projeção, que era de alta de 0,7% na margem.

Analistas da Rosenberg & Associados destacam que o crescimento da indústria em maio continua a ser puxado pela demanda interna, embora as exportações tenham contribuído com 1,89 ponto porcentual do resultado da produção industrial de maio comparada com o mesmo mês do ano passado - crescimento de 4,9%.

Essa participação foi destaque, porém pontual, pois reflete a sazonalidade dos produtos vendidos ao exterior. A expectativa dos analistas é que a contribuição das exportações para a produção continue forte em junho, mas decline ao longo do segundo semestre.

O economista-chefe do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), Edgard Pereira, destaca ainda que o crescimento de 1,3% na produção industrial de maio ante abril mostra que o resultado imediatamente anterior (-0,1% em abril/março ou 0% no dado revisado hoje) foi um ponto fora da curva e não uma mudança de tendência. Os dados apontam, segundo ele, para uma alta no ano entre 4% e 4,5% na produção da indústria.

Previsões

A expansão da indústria neste ano está diretamente atrelada ao aumento da massa salarial, às menores taxas de juros e à expansão do crédito, segundo os economistas da Rosenberg & Associados. Esses três fatores incentivam tanto o consumo doméstico como o investimento na produção e devem fazer com que a tendência de aceleração da produção industrial observada nos últimos meses continue no ano, inclusiva em junho.

Para junho, ainda há poucos dados disponíveis que permitam se fazer uma projeção. O dado da Fenabrave de vendas de veículos no varejo mostrou crescimento de 34% em junho contra o mesmo mês do ano passado, e o consumo de energia elétrica cresceu 1,0% na margem e 3,8% na comparação interanual.
Tópicos:



Comentários