Conta de luz subirá 17,04% para clientes da Eletropaulo

A partir de sábado (4), consumidores residenciais da Eletropaulo (SP) terão um aumento de 17,04% na conta de luz. Para a indústria atendida pela distribuidora, o reajuste será pouco menor, de 11,73%.

Atualmente a Eletropaulo atende 6,7 milhões de unidades consumidoras distribuídos em 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital. A revisão foi aprovada pela diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) nesta terça-feira (30).

Apenas nos últimos dois anos, o aumento médio para o consumidor da empresa foi de 83,23% – tendo em vista o novo preço da energia, de R$ 436,11 por megawatt hora, e o que era cobrado em janeiro de 2013, R$ 238,01 por megawatt hora. Nesse período, a empresa passou por três reajustes ordinários e um extraordinário.

Neste cálculo de aumento, de 83,23% em dois anos, não está considerado o efeito da bandeira tarifária, taxa que é acrescida na conta do consumidor mensalmente de acordo com o consumo.

Desde janeiro essa bandeira está na cor vermelha, teto da cobrança. Ou seja, há que considerar ainda a soma de R$ 5,50 a cada 100 kilowatt-hora (kWh) consumidos.

A reguladora justificou a elevação das tarifas principalmente nos gastos extras que a Eletropaulo teve com a compra de energia (equivalente a seis pontos percentuais do aumento), o aumento dos preços dos contratos de fornecimento elétrico e com o pagamento do empréstimo para o setor que foi tomado no ano passado.

Considerando a dívida integral de 2014, que será rateada por todas as distribuidoras e consumidores, são R$ 37,4 bilhões para pagamento ao longo de quatro anos e meio, considerando tanto juros quanto garantias. Portanto, neste ano, todos os consumidores terão de pagar a primeira parcela dessa dívida.

Para chegar ao valor final, também foram considerados outros indicadores, como gastos operacionais, que também tiveram aumento.

Revisão


Continua depois da publicidade


Diferentemente do reajuste tarifário –feito anualmente e que corrige a inflação, valor de encargos, custos com operação, manutenção e gastos com compra de energia–, a revisão tarifária é feita de quatro em quatro anos ou de cinco em cinco.

Esse processo substitui o reajuste e corrige as tarifas de maneira mais ampla, considerando também o equilíbrio financeiro da empresa, a correção dos investimentos feitos no período.

O maior peso para o consumidor da Eletropaulo, porém, foi a necessidade de contratação extra de energia feita pela empresa para conseguir atender seus consumidores. Contratos que foram impactados pelo aumento de preços da eletricidade em todo país.

Celtins

Nesta terça-feira (30), a Aneel ainda aprovou aumento de 5,64% para residências atendidas pela Energisa Tocantins (TO). Para a indústria da região, o ajuste será de 6,52%.

Os novos valores serão aplicados também a partir de quinta-feira (4) para 556 mil unidades consumidoras em 139 municípios do Estado.

Tópicos:



Comentários