Inovação e usinagem inteligente é a saída para a crise, diz CEO da Iscar

Executivo apresentou os lançamentos da empresa em evento paralelo à Feimafe 2015.

No último dia 20 de maio a Iscar Brasil realizou em paralelo à 15ª Feimafe - Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura o Seminário IQ, onde apresentou os seus mais recentes lançamentos no campo das ferramentas de corte para usinagem.

Realizar um evento sobre lançamento de produtos, em paralelo à mais importante feira do segmento, é sempre uma temeridade. Principalmente, se considerarmos o fato de que o Seminário foi planejado para o dia todo. Todo convidado que também pretendia visitar a feira, teria de fazer um investimento de, no mínimo, dois dias fora da empresa, caso quisesse participar de ambos os eventos. Esse fato fez brilhar ainda mais a competência dos organizadores em atrair e manter atenta a distinta plateia. O amplo auditório, de aproximadamente 400 lugares, estava completamente lotado. Entre os participantes, estavam muitos profissionais provenientes dos fabricantes de máquinas, assim como gente da indústria da manufatura, além da força de vendas da própria Iscar.

As apresentações foram conduzidas pelo CEO global da Iscar, Jacob Harpaz. Muito desenvolto e dinâmico, o diretor fez uma entusiasmada dissertação técnica sobre todas as particulares linhas de produtos da empresa. Foi dada ênfase às inovações tecnológicas, focado em novos conceitos de fixações, geometrias otimizadas para melhor fluxo dos cavacos, classes e revestimentos, multiplicidade de arestas por pastilha de metal duro, tudo direcionado à ideia de processos de usinagem inteligentes e ininterruptos.

Cerca de 350 pessoas estiveram presentes no Hotel Holiday Inn em São Paulo para
participar do  Seminário Internacional IQ Iscar. Imagem: Divulgação

Segundo o CEO, a empresa já ocupa a segunda posição entre os fabricantes globais de ferramentas, ficando, nesse momento, atrás apenas da sueca Sandvik. A companhia tem investido pesadamente não só em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de produtos, mas também na aquisição de empresas que possam completar o seu leque de soluções para usinagem. Há rumores que tenham feito propostas de aquisição de um outro grande fabricante e que se o fato chegar a ser consolidado, poderiam passar para o topo do ranking mundial dos fabricantes de ferramentas de metal duro.


Continua depois da publicidade


Entre as novidades apresentadas estavam: as pastilhas pentagonais para rosca Deca IQ Thread com 10 arestas de cortes disponíveis; os bedames Penta IQ grip, com 5 arestas disponíveis, que podem cortar até profundidades de 40 mm; as pastilhas para furação Tri Deep, que divide a secção do cavaco de furação em 3 partes, facilitando o fluxo de saída dos cavacos; as brocas Sumo Cham de cabeças intercambiáveis que chegam agora até o diâmetro de 6 mm; cabeças para furos de fundo plano; brocas auto centrantes que dispensam a necessidade de pré-furos, que podem atingir profundidades de até 12 x D, com canais polidos e antivibratórios.

Ainda de acordo com Harpaz, 40% do faturamento global da companhia é proveniente das vendas de produtos com menos de 5 anos de existência. Para tanto, a companhia investe entre 5 e 6 % do seu faturamento em P&D. Para o executivo, a retração geral do mercado tem seu princípio fundamentado em fatores econômicos, porém, que se acentua, principalmente, por conta de fatores psicológicos, ou seja: de tanto pensar no pior, o pior acontece. Ele fez questão de enfatizar que a saída está em pensar na usinagem de modo inteligente, buscando soluções inovadoras que possam ajudar a empresa. Não só para atravessar momentos difíceis, mas para prepará-la a sair na frente dos concorrentes quando a retomada dos negócios vier, pois a experiência mostra que esses quadros econômicos são cíclicos e não tardará para que os bons ventos voltem a soprar as velas da indústria nacional.

Tópicos:



Comentários