BNDES aprova financiamento de R$ 2,3 bilhões para Siderúrgica do Pecém

Os recursos serão destinados à construção de usina, no município de São Gonçalo do Amarante, no Ceará.

A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 2,3 bilhões para a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). Os recursos serão destinados à construção da usina, no município de São Gonçalo do Amarante (CE), com capacidade de produção de até 3 milhões de toneladas por ano de placas de aço.

Com o investimento total, de cerca de R$ 12,7 bilhões, estão sendo gerados mais de 17 mil empregos diretos e indiretos durante as obras. A previsão é de que o início da produção ocorra no primeiro semestre de 2016.

O controle acionário da CSP é exercido de forma compartilhada pela Vale e pelas sul-coreanas Dongkuk e Posco. O projeto utilizará a sinergia entre os sócios em seus segmentos de negócios.

Toda a produção da nova siderúrgica, a princípio, será destinada à exportação. A usina está inserida no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, a 8 km do Porto do Pecém, que é interligado por um sistema de correias transportadoras que também atende a outros empreendimentos do Complexo.


Continua depois da publicidade


O governo do Ceará está expandindo o Porto do Pecém, onde o minério da Vale será recebido, o carvão metalúrgico importado e as placas de aço exportadas. O projeto do governo também inclui a pavimentação de rodovias para facilitar a logística de exportação.

A CSP será a primeira empresa a operar no país em regime de ZPE (Zona de Processamento de Exportação). As ZPEs são caracterizadas como áreas de livre comércio com o exterior, destinadas à instalação de empresas com produção voltada predominantemente para a exportação e com tratamento tributário e cambial específico, que inclui suspensão e posterior isenção de impostos federais. A iniciativa contribuirá para o aumento da entrada de divisas no País.

Investimentos sociais

O financiamento do BNDES contempla ainda apoio aos projetos sociais da CSP no entorno da usina. A empresa investirá R$ 30 milhões em iniciativas voltadas para a infraestrutura social, educação e cultura, governança regional e ações para inclusão de jovens e geração de renda.

Inovação tecnológica

A CSP incorporará iniciativas e tecnologias vinculadas à inovação. Isso foi possível devido à existência de núcleo corporativo específico para planejamento, desenvolvimento, implantação e sistematização de processos na fase pré-operacional do projeto, além de todo o know-how dos acionistas.

Tópicos:



Comentários