Toyota elevará a produção do compacto Etios na planta de Sorocaba (SP)

As atuais 74 mil unidades anuais terão um acréscimo de 34 mil, que serão vendidas, em sua maior parte, no mercado interno.


Continua depois da publicidade


Desde seu lançamento, em setembro de 2012,  o Etios se tornou o produto mais vendido pela Toyota no Brasil, sendo um dos responsáveis pelos recordes de vendas dos últimos dois anos. Em 2014, a Toyota comercializou 66 mil unidades do modelo no mercado interno e exportou outras 20 mil para Argentina, Paraguai e Uruguai, fazendo com que a fábrica de Sorocaba (SP) operasse acima da sua capacidade nominal de produção, de 74 mil unidades por ano.

Por isso, a Toyota decidiu ampliar a capacidade de produção do Etios na planta de Sorocaba, de 74 mil para 108 mil unidades por ano, a partir do início de 2016.

"Esta expansão da produção Etios em nossa fábrica de Sorocaba se deve ao fato de sempre ouvirmos com atenção o feedback dos nossos clientes para produzir carros cada vez melhores. Sinto que a família Etios cresce por conta dos consumidores brasileiros. Vamos seguir com nosso compromisso de contribuir continuamente com o crescimento econômico e o desenvolvimento da sociedade brasileira", afirma Koji Kondo, presidente da Toyota do Brasil.

O aumento na produção do Etios em Sorocaba trará um investimento de aproximadamente R$ 100 milhões e a contratação de novos colaboradores, que irão somar-se aos atuais 1.600, em dois turnos.


Continua depois da publicidade


"Estou muito orgulhoso do trabalho árduo e cooperativo que o nosso time da Toyota do Brasil vem realizando. Eles primam pela qualidade de cada veículo que produzem e cuidam dos nossos clientes, criando fãs da marca Toyota. Todo o nosso time composto por fornecedores, concessionários, clientes e demais parceiros fizeram meu sonho se realizar no dia de hoje. Meus parabéns a todos por essa expansão e por criarem importantes postos de emprego aos brasileiros”, disse Steve St. Angelo, chairman da Toyota do Brasil e CEO da Toyota para a América Latina e Caribe.




Comentários