Voltalia inaugura eólica no Rio Grande do Norte

Com R$ 400 milhões investidos, usina terá capacidade instalada de 90 MW.

A Voltalia Energia do Brasil inaugurou na semana passada a usina eólica de Areia Branca (RN), que entra gradualemente em operação. Para realizar a obra, a companhia de origem francesa investiu cerca de R$ 400 milhões. São 30 aerogeradores com uma potência unitária de 3.0MW cada, totalizando 90MW.

“O Estado do Rio Grande do Norte foi escolhido porque está entre as regiões brasileiras de maior potencial eólico, principalmente em áreas próximas ao litoral, como Areia Branca. O projeto se localiza em área plana, próxima à costa e com bons acessos, o que facilita a logística. Além disso, a proximidade do ponto de conexão mantém os custos de construção de infraestrutura elétrica em patamares aceitáveis”, explica Robert Klein, diretor geral da Voltalia Energia do Brasil.

A empresa já iniciou a construção de quatro outros parques localizados no município vizinho (Serra do Mel, a cerca de 4 km de distância dos parques de Areia Branca). Essas usinas, frutos de uma parceria com a Chesf e Encalso, têm início de operação prevista para janeiro de 2016, com uma potência instalada de 93MW. 

Além desses parques, no Leilão de Energia A-5 de 2013, a Voltalia vendeu a energia que será produzida por outros quatro parques eólicos, também localizados no município de Serra do Mel, para suprimento em 2018.

Adicionalmente, a Voltalia desenvolve outros projetos na região, em fases menos avançadas. A empresa também está construindo outros quatro parques nos municípios de São Miguel do Gostoso e Touros (RN).

“O Brasil, com a sistemática dos leilões, aliado ao forte potencial de regime de ventos, mostrou pra o mundo que é possível chegar a preços de energia eólica no patamar das fontes convencionais. Alguns países europeus e outros no mundo já adotaram modelos de leilões parecidos e o resultado mostra que as energias renováveis estão dependendo cada vez menos de subsídios, dando perspectivas favoráveis pra o futuro”, afirma Robert Klein. 


Continua depois da publicidade


Benefícios

Destaca-se o aumento de oportunidades de emprego, melhoria na infraestrutura derivada da construção e operação e diversificação das atividades econômicas regionais, com a geração de vagas qualificadas. 

Há também pagamento referente aos arrendamentos de terras que é feito diretamente aos proprietários das áreas, representando geração e injeção de renda por no mínimo 20 anos. Outros benefícios alcançados graças ao desenvolvimento da produção de energia eólica são a regularização fundiária e as averbações das reservas legais conforme determina o Código Florestal brasileiro.

“Em relação à geração de empregos, durante a etapa de construção atingimos o pico de aproximadamente 700 pessoas (empregos diretos) na obra de Areia Branca. Considera-se geralmente o mesmo número de empregos indiretos gerados durante a fase de obra”, diz Robert Klein.




Comentários