Setor metalúrgico deve investir R$ 10 bilhões na região do ABC


Continua depois da publicidade


Montadoras e outras indústrias ligadas ao ramo metalúrgico têm investimentos programados para a região até 2019 que superam R$ 10 bilhões, de acordo com balanço feito pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Segundo o presidente da entidade, Rafael Marques, o montante inclui pelo menos metade dos R$ 10 bilhões da Volkswagen para o período de 2014 a 2018, que vai contemplar a montagem final do sedã Jetta (hoje importado do México) na fábrica Anchieta, em São Bernardo, no primeiro semestre de 2015, e ainda as atualizações do Saveiro e do Gol, e a garantia de plataforma mundial para a produção de novos modelos para além de 2018 nessa unidade fabril.

Outro recurso expressivo que está somado nesse balanço é o aporte de R$ 3 bilhões pela Mercedes-Benz, para concentrar a produção de caminhões e ônibus em São Bernardo, e a modernização das linhas de montagem desses veículos até 2019.

Também está nessa conta os R$ 800 milhões aplicados pela Ford na produção do New Fiesta no município e outros R$ 670 milhões para as operações de caminhões série F, da mesma montadora; em ambos os casos, para o período de 2011 a 2015.


Continua depois da publicidade


O sindicato incluiu, ainda, mais R$ 300 milhões que estariam previstos pela Scania (R$ 100 milhões por ano) em manutenção e atualização de equipamentos; e R$ 60 milhões que a entidade afirma que a Toyota aportará para trazer para a região a linha de montagem do Prius elétrico.

Em relação a esse último investimento, embora a montadora não confirme, Marques cita que há acordo com a empresa  para criar condições para que isso ocorra e que, em novembro, a diretoria mundial do grupo deve bater o martelo sobre a questão. A retomada de produção de carros pela companhia na região significará a geração de 600 empregos nessa fábrica (hoje com 1.500 funcionários) a partir de 2016.

O balanço abrange também aportes feitos por autopeças e indústrias de máquinas, como B.Grob (R$ 12 milhões entre 2013 e 2015 para modernização), Kostal (R$ 50 milhões para troca de máquinas até 2018) e a Termomecanica (R$ 300 milhões, entre 2011 e 2014 em novas plantas fabris em São Bernardo).

Aeronaves

No levantamento do sindicato, estão também computados recursos da companhia sueca Saab para implantação de fábrica de caças no município da região (outros R$ 363 milhões) em parceria com o grupo Inbra, a partir de 2015, que pode gerar 2.000 empregos diretos e propiciar o desenvolvimento de cadeia de fornecedores para esse segmento, segundo o vice-presidente da entidade, Aroaldo Oliveira da Silva. Até dezembro, deve ser anunciado onde será localizada a unidade fabril.

Campanha

Até ontem, 193 empresas do ramo metalúrgico, de segmentos diversos (autopeças, fundição, forjarias e indústrias de máquinas) já tinham acertado acordo salarial com o sindicato para pagar 8% de aumento (inflação para a data-base da categoria, em 1º de setembro, mais 1,56% de ganho real).

Ontem, funcionários da F.Jonhson, de Diadema, cruzaram os braços por cerca de três horas. As mobilizações na categoria prosseguem hoje.  




Comentários