Emprego na indústria paulista tem maior queda desde 2009

A indústria de máquinas e equipamentos foi a mais prejudicada em termos de perdas de trabalhadores.

A indústria paulista demitiu 31,5 mil funcionários de janeiro a agosto deste ano, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira (16) pela Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp). No período, o nível de emprego recuou 1,2% no Estado — a maior queda desde 2009, quando o indicador registrou retração de 2,02%.

Segundo previsão da Fiesp, o ano deve terminar com o fechamento de mais de 100 mil vagas de trabalho.
"Faltam três meses para completarmos o ano e nós não vemos sinais de que tenhamos alguma recuperação", afirma Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) das entidades.

Segundo o diretor, o desempenho deste ano é parecido com o de 2009. No entanto, há cinco anos houve uma ligeira recuperação da indústria no segundo semestre, “coisa que não se verifica em 2014”. Só em agosto, foram 15 mil desligamentos, acrescenta Francini.

A indústria de máquinas e equipamentos foi a mais prejudicada em termos de perdas de trabalhadores. Em agosto, fábricas do segmento demitiram 3.393 funcionários. Os setores de veículos automotores, reboques e carrocerias ficaram em segundo lugar no ranking, com 2.497 demissões. Já a área de produtos de metal contou com 2.244 desligamentos. 
Na contramão da indústria como um todo, os fabricantes de produtos de minerais não metálicos, louças e cerâmica contrataram 923 novos trabalhadores.

Tópicos:
           



Comentários