SC ganha sinal verde para obras da fábrica da Sinotruk

A fábrica em Lages será a primeira unidade da Sinotruk fora da China.

Comitiva do Governo do Estado de Santa Catarina recebeu nesta quarta-feira (30), em Brasília, sinal verde do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) para a construção da fábrica de caminhões da montadora chinesa Sinotruk em Lages, na Serra catarinense. Foi autorizada a inclusão da empresa no programa de incentivos federais Inovar-Auto. A expectativa do ministro Mauro Borges Lemos é que a portaria oficial seja entregue na próxima semana, em ato em Santa Catarina, garantindo o início das obras.

"A estruturação do investimento foi muito bem sucedida. Estamos otimistas para entregar a habilitação na próxima semana. É um grande investimento por diferentes motivos: para Santa Catarina, está sendo estabelecida uma importante base do setor automotivo, com a fábrica de motores da GM em Joinville, a BMW em Araquari e, agora, a fábrica de caminhões pesados da Sinotruk completando a matriz. Para o Brasil, é um enorme ganho, pois aumenta a competição com mais um grande fabricante mundial presente no país. E a empresa também ganha, é claro, com acesso ao grande mercado brasileiro, hoje o quarto maior mercado de caminhões do mundo", destacou o ministro Mauro Borges.


Continua depois da publicidade


Participaram da comitiva catarinense o governador Raimundo Colombo; o presidente da SC Parcerias, Paulo César Costa; o secretário de Estado da Fazenda, Antonio Gavazzoni; e a secretária de Articulação Nacional, Lourdes Martini.

A produção anual da planta vai começar em 400 caminhões montados por turno, mas com capacidade para chegar em cinco mil veículos por ano em um único turno. A unidade será construída no Polo Industrial de Índios, em Lages, ao lado da BR-282. O investimento previsto para a construção é de aproximadamente R$ 300 milhões, valor que poderá aumentar em médio prazo em função dos trabalhos de desenvolvimento de tecnologia, distribuição e comercialização. A unidade vai gerar cerca de 400 empregos nessa primeira etapa, número que aumentará significativamente em função da cadeia de fornecedores a ser instalada em volta da montadora.

"Será uma unidade de alta tecnologia. A Sinotruk está entre as maiores fábricas de caminhões do mundo. Ela já está presente no Brasil com caminhões importados e que agora contará com a implantação de uma indústria própria em Santa Catarina, gerando emprego e renda na região e aumentando as vendas da empresa no país", acrescentou o presidente da SC Parcerias, Paulo César Costa.

A Sinotruk

A China National Heavy Duty Truck Group Corporation (CNHTC), dona da marca Sinotruk, foi constituída na China em 1935. No início da década de 1980, adquiriu tecnologia de motores Steyr, formando também outras parcerias com grandes empresas do setor automotivo.

A Elecsonic, constituída em 2009 por sócios brasileiros, todos do setor automotivo, conhecida como Sinotruk Brasil, é a importadora dos caminhões chineses. A empresa está localizada na cidade de Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba (PR).

Para construção da fábrica brasileira, criou-se uma join venture (associação de empresas para explorar o negócio sem perder personalidade jurídica), com a participação das empresas CNHTC e Elecsonic, além do próprio Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da SC Parcerias.

A join venture foi habilitada no Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto), do governo federal. Com a medida, a empresa terá direito a benefícios como descontos no pagamento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os veículos produzidos no Brasil. Em contrapartida, a montadora deverá usar um percentual mínimo de peças nacionais.

O prazo máximo para a empresa concluir as obras e iniciar a produção, sem perder o direito aos benefícios, é de dois anos. Além do Inovar-Auto, a Sinotruk recebeu incentivos do Governo do Estado e a doação do terreno por meio de parceria entre Governo do Estado e prefeitura de Lages.




Comentários