Refinaria Abreu e Lima custará até 3 vezes mais que no resto do mundo

O custo estimado para o projeto é de cerca de US$ 20 bilhões.

A Agência Internacional de Energia (AIE) diz que a construção da refinaria Abreu e Lima pela Petrobras, em Pernambuco, vai custar até três vezes mais do que qualquer projeto com capacidade similar no resto do mundo.

A agência nota que o custo de cerca de US$ 20 bilhões, pela última estimativa para esse projeto, é equivalente a “duas ou três vezes mais que o custo de capacidade de refino semelhante que está sendo construído no resto do mundo”.

Apesar de o Brasil planejar duas novas refinarias, a Abreu e Lima e a da Comperj no Rio de Janeiro, ambas com atraso, cortes no orçamento da Petrobras vão afetar a expansão da capacidade de refino na América Latina.

A AIE nota que a companhia brasileira, no rastro de perdas nas atividades de “downstream” (transporte e distribuição de produtos da industria de petróleo) e restrições de caixa, anunciou redução de US$ 26 bilhões nos investimentos de “donwstream” para 2014-18.

Assim, apesar do rápido crescimento do déficit e aumento na demanda de produtos de petróleo, a capacidade de refino na América Latina nos próximos cinco anos deve ter uma expansão mínima.

No geral, avalia a AIE, a América Latina continuará a ser um grande importador de produtos de petróleo no médio prazo, sobretudo procedentes dos EUA, mas a dependência de importação continuará inalterada.

A agência destaca que a indústria de refino entra na idade da globalização e continuará uma forte expansão e reestruturação até 2020.

Apesar do cancelamento de projetos na América Latina e na China, a capacidade global de refino deve crescer significativamente.

A distribuição geográfica da nova capacidade é altamente desigual e quase inteiramente fora dos paí ses desenvolvidos. Até o fim da década o mapa do refino global, assim como dos fluxos comerciais de petróleo, ficará quase irreconhecível, com enormes hubs na Ásia, Oriente Médio e nos EUA.
 
Na Ásia e no Oriente Médio, o aumento da produção regional estimula a expansão das refinarias e alguns países deverão aumentar suas exportações.

Tópicos:



Comentários