Gerdau vai investir US$ 416 milhões na área de logística em MG

Produção deve atingir 24 milhões de toneladas anuais; investimento acontecerá até 2016.

Os aportes do grupo gaúcho Gerdau na logística de suas operações de minério de ferro em Minas Gerais totalizarão US$ 416 milhões (R$ 925 milhões na cotação da última quinta-feira - 29) até 2016. A companhia vem investindo pesado na expansão de suas jazidas, cuja produção deverá saltar de 11,5 milhões de toneladas para 24 milhões de toneladas anuais em seis anos.

De acordo com uma apresentação feita para investidores publicada nesta semana pela companhia, grande parte dos investimentos será realizada na infraestrutura logística entre as minas instaladas na região Central do Estado e a Usina Ouro Branco.

Um dos investimentos previstos é a construção de uma rodovia particular entre a mina Várzea do Lopes, em Itabirito, e o complexo minerário de Miguel Burnier, em Ouro Preto, na região Central do Estado. Os aportes totalizarão US$ 120 milhões. Conforme o cronograma, o empreendimento será concluído ainda neste ano.

Já entre a planta de beneficiamento em Miguel Burnier e a usina siderúrgica a companhia irá instalar um transportador de correia de longa distância (TCLD). O equipamento, orçado em US$ 133 milhões, deverá entrar em operação em 2016, quando a empresa pretende atingir a produção de 18 milhões de toneladas de minério de ferro.


Continua depois da publicidade


Para escoar a produção a Gerdau investirá ainda na implantação de um terminal ferroviário em Miguel Burnier com capacidade de movimentar 15 milhões de toneladas/ano do insumo siderúrgico. Em uma primeira fase o empreendimento, previsto para ser concluído em 2016, receberá aportes de US$ 163 milhões.

Em busca de atingir o volume de 18 milhões de toneladas/ano, a companhia investirá US$ 289 milhões na expansão da Unidade de Tratamento Mineral (UTM II) de Miguel Burnier. Conforme a empresa, a capacidade do equipamento será aumentada em 5 milhões de toneladas anuais.

Além disso, de acordo com a empresa, está em estudo a construção de um terminal portuário próprio na Baía de Sepetiba, no litoral fluminense, com capacidade de embarcar 25 milhões de toneladas de minério de ferro/ano e receber 5 milhões de toneladas de carvão na segunda etapa.

O terminal, bem como a construção de uma terceira planta de beneficiamento no complexo em Ouro Preto, seriam para a terceira fase da expansão das operações para 24 milhões de toneladas até 2020. Os empreendimentos estão em estudo.

A expansão das operações de minério está incluída em um pacote de investimentos da ordem de R$ 5,8 bilhões do grupo gaúcho em Minas. O protocolo de intenções com o governo estadual foi assinado no final do ano passado e compreende também aportes na produção de aço.

Receita

O minério vem ganhando importância nos negócios da companhia. No primeiro trimestre, o faturamento com as vendas da commodity para terceiros triplicou em relação ao mesmo intervalo do ano anterior, passando de R$ 79 milhões para R$ 316 milhões, conforme o último balanço financeiro divulgado pela empresa.

Do total apurado no acumulado do ano até março, R$ 211 milhões foram obtidos através da venda do insumo siderúrgico para terceiros. No mesmo período de 2013, a Gerdau havia registrado receita de apenas R$ 1 milhão com a venda do material excedente.

Tópicos:



Comentários