Fabricantes taiwanesas apostam no mercado brasileiro

Apesar de considerar o mercado brasileiro desafiador, taiwaneses querem expandir negócios por aqui.

Para atrair novos negócios e se aproximar do mercado brasileiro, empresas taiwanesas se reúnem em pavilhão dedicado a produtos do país asiático, durante a 30ª Feira Interncional da Mecânica. Nesta edição do evento, o Conselho para o Desenvolvimento do Comércio Exterior de Taiwan (Taitra) trouxe 11 empresas para expor no Pavilhão do Anhembi. 

Atentos ao mercado mundial, os empresários aproveitam a chance para divulgar e entrar no mercado brasileiro, considerado muitas vezes difícil de se entrar. 

Empresária expõe exemplares durante Fórum de
Máquinase Produtos de Taiwan / Imagem: Karina Pizzini

“É muito difícil chegar a esse mercado, precisamos ir passo a passo”, diz o presidente da fabricante de máquinas-ferramenta Top Work, Jeff Lin. Realidade compartilhada por outros empresários asiáticos do setor, como conta o diretor do Taiwan Trade Center, Krist Yest:

“O custo aqui é alto, por isso é mais difícil de entrar, mas acreditamos que o sistema ainda pode melhorar, ficar mais simples para todos e, principalmente, para o próprio Brasil”.

Apesar das barreiras, o país representa cerca de 30% das exportações de Taiwan para a América Latina. “O Brasil é um dos Brics, não podemos ignorar este mercado particular”, afirma Yest. O foco das companhias taiwanesas abrange o ramo automobilístico, área petrolífera e de implementos agrícolas.

Paralelamente à Mecânica, empresários de Taiwan puderam falar sobre suas marcas e produtos à imprensa e visitantes durante o Fórum de Máquinas e Produtos de Taiwan, idealizado pelo Taitra. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (21).

Mecânica 2012


Continua depois da publicidade


Na última edição da feira, o Taitra levou 12 empresas para o pavilhão do Anhembi. Elas receberam 772 compradores, gerando contratos de 2.62 milhões de dólares nos cinco dias de evento. De acordo com o Conselho, esses contratos geraram negócios futuros que ultrapassaram 9,5 milhões de dólares em um ano.

Tópicos:



Comentários