Projeto para a indústria de papel vence 2º BioBusiness Brasil

Fonte: Agência Sebrae de Notícias - 25/06/07

Um projeto para o desenvolvimento de enzimas personalizadas, criadas por evolução dirigida, para o biobranqueamento de celulose. Essa iniciativa chamada de Lightzyme foi o projeto vencedor anunciado, nesta quarta-feira (20), na etapa final do 2° BioBusiness Brasil – Concurso de Criação de Novos Negócios em Biotecnologia e Saúde. A vantagem de se adaptar as enzimas está na maior produtividade e conseqüente diminuição dos custos de implantação nos processos das indústrias de papel e celulose.

O concurso é promovido pela incubadora de empresas Supera, fruto da parceria entre o Sebrae em São Paulo, a Fundação Instituto Pólo Avançado da Saúde de Ribeirão Preto (Fipase), a Universidade de São Paulo (USP) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O 2º BioBusiness Brasil faz parte da programação do III Seminário Sobre Rotas Tecnológicas da Biotecnologia no Brasil, que irá proporcionar, até sexta (22), discussões e interações entre diferentes atores, como empresários, empreendedores, pesquisadores e investidores, a fim de impulsionar o surgimento de novos projetos e a transferência para utilização na indústria nacional, de forma a proporcionar o surgimento de produtos e processos inovadores.

"O concurso e o seminário criam um ambiente propício para interações, trocas e parcerias entre os atores da Biotecnologia para a complementação das suas capacidades tecnológicas. Para tanto, empresas e instituições de pesquisas apresentam seus produtos e serviços no evento", explica Marcelo Maçonetto, coordenador do 2º Biobusiness Brasil.

A premiação ganhou caráter nacional nesta segunda edição e ofereceu R$ 20 mil em prêmios para o projeto vencedor, valor superior ao do ano passado, que foi de R$ 8 mil. Além do prêmio, o vencedor de 2007 apresenta a proposta nesta quinta (21) no III Seminário de Rotas da Biotecnologia no Brasil no Centro de Convenções em Ribeirão Preto. O projeto também conquistou o direito de ser desenvolvido na incubadora Supera.

"O concurso é uma grande oportunidade para mostrar novos projetos para investidores, empresários, graduandos e pós-graduandos", disse Maçonetto. As áreas que tiveram mais projetos captados foram Agronegócio e Indústria. Ao todo, 50 projetos foram inscritos, elaborados por cerca de 100 participantes de oito estados diferentes. Antes da seleção dos seis finalistas, os participantes passaram ainda por treinamentos para a revisão e melhoria do conteúdo dos Planos, antes de serem sabatinados por um Júri de Avaliação.

Incubadora


A Supera é uma incubadora de empresas de base tecnológica que oferece apoio à criação de novos negócios e conta com espaço físico para o empreendimento e serviços de suporte administrativo na fase crítica de implantação e desenvolvimento de um novo negócio.

O concurso e o seminário também nasceram na incubadora, assim como o BioBusiness Brasil, uma rodada de negócios em biotecnologia. Essa rodada é realizada tradicionalmente no mesmo dia do encerramento do Concurso de Criação de Novos Negócios em Biotecnologia.

"O evento reforça a necessidade de se fomentar a transferência de tecnologia do meio acadêmico para o meio empresarial. Aqui os pesquisadores tiram os projetos dos laboratórios e os expõem à realidade das necessidades do mercado", disse Rogério Volpini, analista do escritório do Sebrae em Ribeirão Preto.



Comentários