Adesão ao Inovar-Auto dá novo alento à Kia Motors em 2014

Adesão ao Inovar-Auto dá novo alento à Kia Motors em 2014

Com o aval da montadora sul-coreana no mês passado, a Kia Motors do Brasil inicia processo de habilitação ao programa Inovar-Auto ainda em dezembro. Com isso, a importadora prevê para 2014 um ano mais alentador.
 
“A Kia Motors Corporation autorizou a Kia Motors do Brasil, no mês passado, a formalizar o processo de habilitação ao programa Inovar-Auto, e assim, comprometendo-se a cumprir metas de eficiência energética a serem comprovadas em outubro de 2017. Com isso, ainda em dezembro, vamos protocolar o nosso pleito ao programa”. A declaração é de José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors do Brasil, em encontro com os jornalistas automotivos nesta quarta-feira (4), em São Paulo.
 
Segundo Gandini, a Kia Motors do Brasil não aderiu ao Inovar-Auto, instituído em 3 de outubro de 2012, porque apenas como importadora e distribuidora não teria como atender aos requisitos mínimos do programa. “Sem o comprometimento jurídico da montadora sul-coreana, não teria como sustentar o nosso compromisso com o Governo brasileiro”, argumenta.
 
A partir de janeiro de 2014, por meio do programa Inovar-Auto, a Kia Motors passa a ter direito à cota máxima de 4.800 unidades/ano sem os 30 pontos percentuais no IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados. Para que a importadora volte a ter competitividade, 6 mil unidades do Bongo – produzido no Uruguai, portanto também sem os 30 p.p no IPI – serão contabilizadas em 2014.
 
Nas estimativas de vendas da Kia Motors para o próximo ano, Gandini espera obter crescimento de cerca de 3% sobre os volumes de 2013. “Como fecharemos o ano com 29 mil veículos emplacados, ao projetarmos 3% de crescimento, chegaremos a 30 mil unidades em 2014. Para chegarmos a essa projeção, contaremos com a cota de 4.800 unidades e 6 mil de Bongo, sem a alta de 30 pontos percentuais no IPI, e mais cerca de 20 mil unidades com o IPI diferenciado”, estima.
 
Ainda de acordo com o presidente da Kia Motors, “a cota de 4.800 unidades sem o aumento de 30 pontos percentuais no IPI vai nos permitir equalizar preços com os concorrentes nacionais. Apenas a título ilustrativo, em setembro quando aplicamos um bônus de três mil reais no Picanto, as vendas cresceram 54%; e em outubro, o bônus de quatro mil reais no Cerato significou 16% a mais em vendas. Ou seja, esses dois modelos chegaram aos patamares de preços dos veículos concorrentes nacionais”, explica Gandini.
 
Lançamentos
 
Outro cenário, agora factível, é a efetiva série de lançamentos que a Kia Motors deve fazer ao longo de 2014. Os dois primeiros já estão definidos: o sedã de luxo Quoris em abril e o novo Soul (segunda geração) em maio. Outros, no entanto, como do Cerato Hatch, nova Carens e o Cerato Koup, terão de ser postergados por conta do fator incompatibilidade de preços finais.
 
“De qualquer maneira, agora temos mais alternativas. Com a cota, podemos direcionar os benefícios fiscais para produtos em alto volume ou para produtos de nicho, mas sempre em condições igualitárias em relação aos seus principais concorrentes”, enfatiza Gandini.
 
Tópicos:



Comentários