Fim de ano ajuda setor produtivo

Fim de ano ajuda setor produtivo

A atividade da indústria melhorou em outubro, pelo terceiro mês consecutivo. O índice de evolução da produção ficou em 54,5 pontos, acima da linha divisória de 50 pontos, de acordo com sondagem divulgada ontem (20) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores da pesquisa variam de zero a 100, sendo que acima de 50 demonstram aumento da produção. 

Para especialistas, contudo, as variáveis ainda são muito fracas e não sinalizam a recuperação do setor. O que pode justificar o menor otimismo dos empresários com o futuro, como também revelou o levantamento da CNI. Em novembro, todos os indicadores de expectativa para os próximos seis meses caíram em relação a outubro. Isso, segundo a pesquisa, reflete o fato de que a atividade industrial costuma ser fraca no início do ano.
 
Na avaliação do economista da CNI Marcelo Azevedo, o resultado de outubro mostra uma aceleração da produção, com a utilização da capacidade instalada acima da registrada no mesmo mês do ano passado e, também, na comparação com setembro. O nível de utilização média em relação ao tradicional alcançou 46,7 pontos, mais próximo da linha divisória de 50 pontos.
 
Porém, o índice do uso da capacidade ficou em 75%, apenas um ponto percentual acima do registrado em setembro deste ano e em outubro de 2012, dois meses que registraram 74%. “Apesar de o nível médio ter melhorado, o indicador ainda é baixo. É consenso que a utilização plena da capacidade é um índice próximo de 85%, portanto, a indústria está longe de dias melhores”, avaliou o professor de economia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Fernando Ferrari Filho, para quem o setor experimenta, “no máximo, uma lenta e assimétrica recuperação”.
 
Entre os principais segmentos com aumento da produção em outubro estão as indústrias de limpeza e perfumaria (62,5), de bebidas (58,3) e de vestuário (56,1). “São setores que têm maior demanda neste período do ano, para abastecer as festas de fim de ano, portanto, apontam para uma recuperação sazonal, que não deve se sustentar. Além do mais, o ambiente institucional do país não é propício para o aumento de investimentos. Os juros estão subindo, o câmbio está sem previsibilidade e há muitas incertezas do governo na parte fiscal”, explicou Ferrari Filho.
 
A pesquisa da CNI constatou também que a indústria continua com os estoques próximos do nível planejado, em 50,5 pontos em outubro, pelo segundo mês consecutivo perto dos 50 pontos. Outro ponto positivo medido foi o número de empregados, que subiu para 49,9 pontos em outubro. “Como houve ajuste dos estoques em setembro, o aumento da demanda se refletiu em produção maior. Se for mantido, pode se traduzir em mais empregos”, explicou Azevedo da CNI.
 
Outubro também foi o primeiro mês do ano em que o índice de evolução ficou acima de 50 pontos para todos os portes da indústria. 
 
 

 

Por Simone Kafruni/ Correio Braziliense




Comentários