Trumpf divulga resultado anual e anuncia aquisição de companhia chinesa

Trumpf divulga resultado anual e anuncia aquisição de companhia chinesa


Continua depois da publicidade


A empresa Trumpf e a fabricante chinesa de máquinas ferramenta Jiangsu Jinfangyuan CNC Machine Company Ltd. (JFY) em breve vão trabalhar em estreita cooperação: o grupo alemão adquiriu a maioria das ações da companhia chinesa - aproximadamente 72%, conforme anunciado pela família proprietária da Trumpf na Conferência Anual de Imprensa realizada em 16 de outubro, na sede da companhia em Ditzingen, Alemanha.
 
"A aquisição desta prestigiada companhia chinesa fortalece a nossa presença no mais importante mercado de engenharia mecânica do mundo", afirmou a presidente da empresa Nicola Leibinger-Kammüller. "É muito incomum que um investimento direto como este tenha sido possível para nós, uma companhia de porte médio - e, especialmente na engenharia mecânica, que o governo chinês classifica como um setor-chave".
 
JFY fabrica máquinas-ferramenta para o processamento de chapas metálicas e, em termos de volume de produção, classifica-se como líder do mercado chinês de máquinas puncionadeiras e de dobra. A empresa também está crescendo de modo relevante no setor de máquina de corte a laser. JFY foi privatizada em 1997 e está sediada em Yangzhou (300 km a oeste de Shanghai). Em 2012, com quase 700 funcionários, a empresa gerou vendas de cerca de 70 milhões de euros.
 
Como acionista majoritária da JFY, Trumpf continua a expandir sua já boa posição no mercado chinês. Esta aquisição dá a ela acesso ao mercado extremamente dinâmico representado pelas empresas de porte médio - o chamado middle-segment.
 
"Queremos ser capazes de acompanhar constantemente os clientes à medida que crescem e aumentam as suas exigências tecnológicas. Com a nossa aliança, a Trumpf e JFY agora estão em uma posição mais forte do que outros fornecedores para oferecer aos clientes produtos em todos os níveis tecnológicos, e do mesmo grupo de empresas", afirmou a presidente, Nicola Leibinger-Kammüller.
 
Expansão de Pesquisa e Desenvolvimento
 
Enquanto a entrada de pedidos no ano fiscal 2012/13 permaneceu no mesmo nível do ano anterior, o resultado antes de impostos caiu para 154 milhões de euros (ante 211 milhões de euros). A razão para isso foi um alto nível de investimento em setores futuros. Por exemplo, a Trumpf investiu um total de 211 milhões de euros em pesquisa e desenvolvimento - cerca de 9 % mais do que no ano anterior.
 
Segundo a presidente Leibinger-Kammüller, este é o maior valor que já gasto em pesquisa e desenvolvimento em um único ano. Além de aumentar o investimento em P&D, também foram contratados novos funcionários. No final do ano fiscal em 30 de junho de 2013, havia 1.430 empregados que trabalhando em P&D na Trumpf - 6% mais do que no ano anterior.
 
Com o aumento de mercado na Ásia, o número de empregados também cresceu - em torno de 11%. De acordo com a presidente: "Tudo isto representa custo no curto prazo, mas no longo prazo estes investimentos se pagarão - e pensar em longo prazo sempre foi uma das maiores forças das companhias familiares".
 
Ao encerrar o ano fiscal em 30 de junho de 2013 Trumpf tinha 9.925 empregados no mundo todo - 370 mais do que no período anterior. 

 

Tópicos:
  



Comentários