Vendas de veículos caem pelo segundo mês seguido

Vendas de veículos caem pelo segundo mês seguido.

As vendas de veículos em setembro caíram pelo segundo mês seguido, com uma retração de 5,9% em relação a agosto. Já na comparação com igual mês de 2012 foi verificada alta de 7,6%. Ao todo, foram licenciados 309,9 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.
 
No acumulado de janeiro a setembro, os negócios estão praticamente empatados com os de igual período de 2012, com 2,78 milhões de veículos, uma diferença de 8,7 mil unidades, o equivalente a menos de um dia de vendas, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos (Fenabrave).
 
Em agosto, as vendas acumuladas apresentavam queda de 1,22% ante 2012, o que levou analistas e executivos do setor a temerem um resultado negativo para 2013. Seria a primeira retração após nove anos seguidos de crescimento nas vendas.
 
No mês passado, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) reviu para baixo sua projeção de crescimento de vendas j para este ano, de 3,5% a 4,5% previstos no início do ano, para 1% a 2%. Em 2012 foram vendidos 3,8 milhões de veículos.
 
"Teremos um crescimento menor, mas ainda assim a venda será recorde", disse o presidente da entidade, Luiz Moan. O setor conta com aquecimento nos negócios principalmente nos dois últimos meses do ano. Deve contribuir para isso o possível fim do desconto do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a partir de janeiro.
 
Para o presidente da Fenabrave, Flávio Meneghetti, a perspectiva de recomposição do IPI "indica que haverá aquecimento nas vendas nos dois últimos meses, equilibrando o resultado de 2013 para algo em torno de 1% positivo ante 2012".
 
Na segunda-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, respondeu com um "vamos ver" ao comentar a possibilidade de o IPI ser mantido no atual patamar. "Como isso está definido até janeiro, não há por que mexer nessa história até lá. Vamos ver o cenário, mas a indústria automobilística está indo bem, vendendo bem", disse.
 
Estoques. Segundo concessionários, os estoques estão elevados e algumas lojas realizam promoções com financiamento de 60 meses sem entrada e sem juros e valorização do usado.
 
Só em automóveis e comerciais leves, segmento beneficiado pelo IPI menor, as vendas somaram 293,9 mil unidades em setembro, alta de 5,9% ante igual mês de 2012, mas queda de 6% se comparado a agosto.
 
No ano, foram comercializados 2,63 milhões de automóveis e comerciais leves, baixa de 1,07% ante o ano passado.
 
Em setembro, as vendas de caminhões e ônibus atingiram 15,9 mil unidades, queda de 3,45% em relação a agosto e alta de 51,6% ante um ano atrás. Nos nove meses de 2013, as vendas desses veículos atingiram 141,9 mil unidades, alta de 16% ante igual período de 2012.
 
Se forem somados motocicletas, implementos rodoviários e máquinas agrícolas, o total de veículos comercializados em setembro chegou a 449,6 mil unidades, 6,57% menos que em agosto, mas 7% maior que em setembro do ano passado.
 
Com 22% de participação, a Fiat liderou as vendas em setembro, seguida pela Volkswagen (19%), GM (.17%) e Ford (9,7%). O Gol foi novamente o carro mais vendido do País, com 22 mil unidades, seguido por Uno (14,5 mil) e Palio.(12,8 mil).
 
Por Cleide Silva Gustavo Porto/ O Estado de S. Paulo
Tópicos:



Comentários